segunda-feira, 30 de abril de 2007

Manaus

Aqui em Manaus, onde estou passando o feriado, nota-se uma grande carência de serviços. Não há por exemplo uma boa padaria. Estas regiões do Brasil que crescem enquanto São Paulo atrofia, podem trazer interessantes oportunidades para o empreendedor. Entretanto a carência de mão de obra qualificada também assusta.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Fórum de Educação Empreendedora - ATA 24 de Abril

Compareceram:
Carlos Lavieri
Rose Mary Lopes
José Antônio Pereira Gonçalves
Claudio Tervydis
José Antonio Lerosa Siqueira
Zilá Grassiotin
Marcelo Nakagawa
Alvaro Mello
Odair Soares

Decisões:

1 - Discutiu-se a idéia de criar um documento político, uma carta colocando a posição do fórum. Sugestões para a melhoria das condições da criação de novos negócios no Brasil, e principalmente para facilitar a sobrevivência destes.

2 - O professor Siqueira ficou de verificar junto ao Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) quais informações da pesquisa já não estão disponíveis, dispensando algumas das perguntas.

3 - Zila e Rose ficarão de "finalizar" a pesquisa, sendo que se alguém estiver interessado em ajudá-las, deve compactá-las.

4 – A fim de evitar confusões, decidiu-se manter o nome: "Fórum de Educação Empreendedora" e não "grupo de educação empreendedora."

Informes

1 - Rose:
Feira do Jovem Empreendedor em S. José dos Campos, de 18 a 22 de Junho.
http://virtualeduca.org.br/ - Mostrará EAD com rádios e Tvs educativas.

2 - Marcelo apresentou brevemente a atuação da Endevor.

3 - Timila (Thomson) apresentou a base de dados, que disponibilizamos durante um mês, experimentalmente. Para saber mais, veja os anexos na página do grupo.

Apresentação

A apresentação da Rose elucidou muitos pontos e merece ser lida, pois faz um apanhado geral da situação da educação empreendedora no mundo.

Na próxima reunião teremos a apresentação do Prof. Tales (FGV EAESP) com o tema Efetuação. Sugestão do Prof. José Siqueira.

Próximas reuniões


As datas estão mantidas para as próximas duas reuniões (última terça-feira do mês), mas serão revistas a partir de então.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Convite Alvaro

Caros amigos,

No próximo dia 18/05/07, vocês são nossos convidados para realizarmos no CRA-SP, o I Encontro de Coordenadores de Centros de Empreendedorismo. Para tanto, necessitamos que fossem confirmadas suas presenças até 07/05/07.
Caso haja alguma dúvida ou sugestão, por favor, fiquem à vontade para me comunicar.

Abaixo, encontram-se as informações relativas a este evento.

Um abraço,

Alvaro Mello



Título do evento : Café da manhã – I Encontro de Coordenadores de Centros de Empreendedorismo Universitários (CEE)


Local e data da realização: CRA-SP ; 18/maio/2007

Horário: 8hh30 às 12h00

Objetivos
- Reunir os coordenadores dos Centros de Empreendedorismo Universitários (CEEs) nas IES Instituições de Ensino Superior que tenham experiencias relevantes na coordenação destes centros, para discutir a missão e os desafios destas entidades e, propor estratégias inovadoras e de atuação comum, a partir das discussões e trocas de experiencias realizadas durante o evento. Também serão convidados a participar, representantes de IES e organizações privadas relacionadas com o tema Empreendedorismo.

Questões chave para orientar as discussões


- Identificação das necessidades e razão de ser dos CEEs
- Quais os seus desafios e missão?
- Respostas e soluções para atendimento das necessidades verificadas
- O que funcionou e quais os resultados alcançados
- O que não funcionou e quais as dificuldades encontradas
- Perspectivas para os Centros de Empreendedorismo Universitários
- Sugestões e recomendações




Metodologia - Dinâmica
- Durante o evento:Formação de grupos que discutirão os temas acima estabelecidos, a partir das questões e respostas préviamente fornecidas e dos encontros virtuais realizados
- Elaboração do Relatório Final e Recomendações

Participantes convidados
- Nede/Mackenzie
- FEA/USP
- Poli/USP
- Mauá
- Senac
- IBMEC
- ESPM
- EaespFGV
- FAAP
- BSP
- PUC/Rio
- Faculdade Sumaré
- FAESP
- GV CEPE
-

Empresas e instituições convidadas a participar :

* Solo Corp -
* ACSP/Fenaj -
* Sebrae -
* Cietec -
* Endeavor
* Fiesp
* IBIE
* CRA-SP
* Votorantim Ventures
* Associação Brasileira de Venture Capital/Private Equity
* IEL Instituto Euvaldo Lodi (Nacional)
* ANPEI
* FINEP
* Clube do Empreendedor
* Forum de Educação Empreendedora
* Inova Unicamp
* SBDE
* IBTA

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Idéias

Depois o pessoal diz que os Brasileiros são mais criativos: Veja essas duas idéias:

http://www.bagborroworsteal.com/ - Aqui você pode alugar bolsas de marca e outros assessórios que seriam inviáveis a maior parte dos mortais. Se tem um mundo de gente disposta a comprar na Daslu, deve ter um mundo maior de gente disposta a alugar os itens da Fendi. A idéia é de 2004.

Já o senhor Books Lambert fundou a http://www.thebeerbelly.com que possibilita ao cristão levar a cerveja ao jogo, ao cinema, e até na igreja. Ele já está milionário.

Para saber mais:
http://financial-growth.blogspot.com/2007/04/5-online-millionaires-youve-never-heard.html

terça-feira, 24 de abril de 2007

ATA

Fazer a ata da reunião ocorrida em 24 de Abril.

domingo, 22 de abril de 2007

Mudança e Melhoria.

Li no texto da próxima reunião do grupo de educação empreendedora, que acontecerá nesta terça na agência de inovação da USP o seguinte, escrito por um professor de criatividade:

"Nem toda mudança é para melhor, mas para melhor é sempre uma mudança."

Explica muito não?!

sábado, 21 de abril de 2007

Maquiavel - Teórico, Napoleão - Empreendedor.

"nada faz com que um principe seja mais estimado, do que os grandes empreendimentos." trecho do livro O Príncipe. Na borda Napoleão comenta: "foi com eles que me elevei, e só com eles que posso me manter. Se não fizesse outros, sempre superiores, me arruinaria."

sexta-feira, 20 de abril de 2007

I Encontro Nordestino de Empreendedorismo Inovador

De 07 a 09 de maio Recife sediará o I Encontro Nordestino de Empreendedorismo Inovador , a ser realizado no Recife Praia Hotel . Voltado para empreendedores, empresários, incubadoras de empresas, empresas incubadas e graduadas, parques tecnológicos, comunidade acadêmica e interessados no tema Será um evento de capacitação com uma programação que abrange seminários, palestras, workshops, fóruns e mini-cursos com temas pertinentes ao: empreendedorismo, capital de risco, liderança empresarial, investimento, entre outros. O encontro ainda se propõe a ser um espaço de ampla reflexão e encaminhamento de propostas para potencializar regionalmente as oportunidades no âmbito dos empreendimentos.
Maiores informações: informacoes@incubanet.org.br
Realização: - SEBRAE - Serviço de apoio a micro e pequenas empresas - ANPROTEC - Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores Organização Local: - INCUBANET - Rede Promotora de Empreendimentos Inovadores de Pernambuco Apoio: - Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife – C.E.S.A.R. - Banco do Nordeste do Brasil – BNB - Extensiva - Otimização e Desempenho do Portal - W2U - Design e Tecnologia

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Brasil é o 10º no ranking dos mais empreendedores

Autor: Ana Paula Lacerda

Pesquisa mostra que número de empresas mais duradouras aumentou, porém ainda falta inovação

O Brasil é o décimo país mais empreendedor do mundo. Cerca de 11,65% da população economicamente ativa (ou seja, 13,7 milhões de brasileiros) está abrindo ou abriu um negócio próprio nos últimos 42 meses. Os números são da pesquisa do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), divulgada ontem, que avalia os níveis de empreendedorismo em 42 países.No ano passado, o Brasil aparecia como o 7º colocado. “A queda ocorreu porque novos países entraram na avaliação, e tinham índices maiores que o brasileiro”, explica a coordenadora-técnica do GEM no Brasil, Simara Greco. “Mas o índice de empreendedorismo se mantém o mesmo do ano passado.” O País ficou atrás de Peru, Colômbia, Filipinas, Jamaica, Indonésia, China, Tailândia, Uruguai e Austrália.Uma outra lista do GEM apontou uma mudança positiva: aumentou o número de empresas brasileiras com mais de 42 meses. O percentual delas tem crescido regularmente, e subiu de 7,6% das empresas em 2003 para 12,9% em 2006 (um total de 14,2 milhões de empreendimentos com mais de três anos e meio). “Pode ser um sinal de que o ambiente brasileiro está se tornando mais favorável ao empreendedorismo”, avalia Simara.As taxas de empreendedorismo inicial tendem a ser mais altas nos países de renda média do que nos países de renda alta. Os últimos colocados da lista geral deste ano foram Emirados Árabes (3,74%), Itália (3,47%), Suécia (3,45%), Japão (2,90%) e Bélgica (2,73%).“A explicação para isso é que nestes países as pessoas normalmente empreendem só quando têm uma boa oportunidade. A Austrália é exceção, lá se empreende muito e por boas idéias”, explica a coordenadora. “No Peru, na Colômbia e no Brasil, por exemplo, ainda há muitas pessoas que empreendem por necessidade, ou seja, porque estavam sem emprego e precisavam de uma fonte de renda.”Atualmente, para cada empresa que surge por oportunidade, outra surge por necessidade. “Já tivemos índices piores”, afirma o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto. “Ainda há muito a fazer, mas é bom saber que os empreendimentos por necessidade deixaram de ser maioria no Brasil.” Ele afirma que, para que haja um maior número de empreendedores por oportunidade, o País precisa crescer economicamente. “Primeiro, a economia tem de andar. Depois, manter políticas públicas que estimulem o empreendedorismo.”Ele afirma que, com a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, que entra em vigor em julho, a situação dos novos empreendedores deve melhorar. “Haverá simplificações que beneficiarão os pequenos empresários. Para o próximo ano, os índices podem estar ainda melhores”, diz Okamotto.INOVAÇÃOSe analisado o potencial de inovação dos empreendimentos brasileiros, 52,7% dos empreendedores iniciais e 60,3% dos empreendedores estabelecidos administram empresas que o GEM classificou como de “mínimo potencial de inovação”. Ou seja, são empreendimentos semelhantes a diversos outros já existentes, sem tecnologia ou gestão avançada.“Esse quadro está muito ligado a fatores de educação e cultura no Brasil”, explica Silmara. “Muitas pessoas não têm acesso a conhecimento tecnológico ou administrativo, ou mesmo não tentam criar uma empresa diferenciada. A cultura empreendedora ainda está em desenvolvimento no Brasil.” -->-->

Fonte: O Estado de São Paulo (18/04/2007)

Comentário meu:
A questão empreender por necessidade em contraste a por oportunidade é em certa medida "falaciosa".
Seria mais apropriado classificar em empreendedores que abrem empresas com capital e aqueles que o fazem sem. Afinal todos os que abrem empresas, e incluo ai o vendedor de cachorro quente em frente ao cinema, e o Bill Gates, o fazem porque acreditam que tiveram uma idéia para "pagar as contas".

mais inteligência que a média

Essa vale ler... o empreendedor médio tem mais inteligência que a média das outras pessoas, mesmo quando medido anos antes (aos 12)!
Fonte:
HYRSKY, K.;KANGASHARJU, A. Adapters and innovation in non-urban enviroments. In: REYNOLDS, P. et al. Frontiers of Entrepreneurship research. Babson, 1998.

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Videoteca

Não deixe de conhecer a área de vídeos da ENDEAVOR. - Tem ótimas palestras. Particularmente recomendo a com o Sr. Shiba da China Box, e a com Guto Milano.

terça-feira, 17 de abril de 2007

I Ciclo de Palestras sobre Educação Empreendedora

Informar-lhe que nos dias 28 a 30 de Maio, na Faculdade de Tecnologia do IPEP de São Paulo (www.ipep.edu.br) estaremos realizando o "I Ciclo de Palestras sobre Educação Empreendedora". Assim, faço o convite a todos os membros do grupo para que, dentro de suas possibilidades de horário (o evento ocorre no período noturno), a prestigiarem esse nosso evento.

Antecipadamente, agradeço a sua atenção. Um abraço ! Prof. Vicente H. Bruzzesi

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Lançamento GEM 2006


Workshop Endeavor
Data: 18/04/2007Início: 9h45Término: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor.
Lançamento GEM 2006 http://www.gemconsortium.org/
Na próxima quarta-feira, 18/04, será lançado o GEM 2006 - Global Entrepreneurship Monitor, o maior estudo independente do mundo sobre a atividade empreendedora. Participe do lançamento e veja em primeira mão os resultados da pesquisa que visa aprofundar o conhecimento e a compreensão do empreendedorismo, por meio da produção e manutenção de dados, informações e indicadores que refletem e elucidam a realidade empreendedora no mundo. Imperdível!Concebido em 1999, o GEM é a única pesquisa sobre empreendedorismo de abrangência global e com a aplicação da metodologia conjunta de duas renomadas entidades, a London Business School e a Babson College. Venha conhecer os fatores que interferem na dinâmica empreendedora, as diferenças internacionais, a estimativa da contribuição do setor empreendedor para o crescimento econômico nacional e o impacto das condições estruturais nacionais na atividade empreendedora.
Palestrantes
Paulo Bastos é Mestre em Informação Científica e Técnica pela Universidade de Marselha, especialista em Gestão do Conhecimento e Inteligência Empresarial pela PUCPR, professor Universitário e Consultor em Gestão Organizacional. Participante do Programa Internacional de Estudos Avançados em Gestão de Inovação – Simon Fraser University. Pesquisador do Projeto GEM (Global Entrepreneurship Monitor) desde 2002.Ricardo Luiz Tortorella é economista, consultor do Fundo Monetário Internacional em Finanças Públicas e das Nações Unidas. Foi diretor do Ministério da Fazenda e assessor especial do Ministério do Planejamento. Foi consultor do SEBRAE coordenando a área de Tributos e Desburocratização e na elaboração do projeto de uma legislação específica para as MPE. Trabalhou na área de Políticas Públicas como um dos articuladores da Frente Empresarial Paulista e da Lei Geral. Atualmente é Superintendente do SEBRAE/SP. Ele fará uma correlação dos dados da pesquisa GEM Brasil com a Lei Geral.
Inscrição
Caso você queira comparecer ao evento, faça a sua inscrição ligando para 0800 728 0202IMPORTANTE: APENAS FAÇA A SUA INSCRIÇÃO SE TIVER CERTEZA QUE IRÁ AO EVENTO NO DIA E HORA MARCADOS - VAGAS LIMITADAS.
Local
SEBRAE-SPRua Vergueiro, 1.117, 6º andar - Auditório

O imposto provisório.

Folha de São Paulo, 1997...

"O Fernando Henrique Cardoso usou a credibilidade do Jatene para conseguir a CPMF e depois colocou o ministro em uma frigideira, em óleo fervendo." - Luiz Inácio Lula da Silva, líder do PT, sobre a saída do ministro da Saúde, Adib Jatene.

e mais...

Fonte: JORNAL DO BRASILData de publicação: JUN 14, 1996

"Não aceitamos a CPMF seca. Não desce goela abaixo." - Inocêncio Oliveira, deputado (PFL) e presidente da Câmara, sobre o novo imposto proposto pelo governo.

Bem, agora o Lula pode ser coerente e acabar com o Imposto...

domingo, 15 de abril de 2007

A Cauda Longa

Muito interessante o livro de Chris Anderson, discutindo as variações de mercado que o "estoque zero" e a Internet provocam. Recomendo aqueles que procuram idéias de negócios.

sábado, 14 de abril de 2007

Sorte, sucesso e empenho.

Muitas vezes consideramos que o sucesso de um empreendedor está ligado apenas ao seu empenho. Claro que é importante uma boa idéia, a descoberta de oportunidades para novos negócios, mas esses são pequenos passos no caminho do sucesso do "empreendedor empenhado". Na verdade, a cultura americana acredita exatamente nisso, e valoriza o capitalista bem sucedido, pois considera que seu sucesso é prova de seu esforço. Na verdade, quem primeiro observou isso foi Max Weber, mostrando que "povos" protestantes consideravam o sucesso de uma família prova de que essa família era parte dos "eleitos" de Deus e recompensava um bom comportamento.
O raciocínio é interessante, mas deve-se por outro lado tomar cuidado para não fazer o raciocínio inverso, ou seja, se alguém é mal sucedido, ou sofre um azar, isso é prova de que Deus não gosta dessa pessoa, de que ela não se esforçou o bastante, em suma, de que merece "o castigo" que está enfrentando.
Essa semana um pai esqueceu o filho no carro, repetindo uma tragédia do ano anterior. Os reporteres foram então em busca da mãe do menino que havia falecido no ano passado. Ela comentou que:"A imprensa veio aqui durante um mês, em busca de algo errado conosco. Queriam entender porque meu marido fez o que fez. Não encontraram nada, somos uma família normal".
Os repórteres, os taxistas, e nós, pessoas em geral, temos a tendência a "culpar" os seres humanos pelos infortúnios que lhes acomentem, o efeito está ligado a dissonância cognitiva, e é uma defesa contra o fato assustador que grandes tragédias podem acontecer conosco a qualquer momento, e não há nada que possamos fazer para evitá-las. QUEREMOS TER CERTEZA QUE ESQUECER O FILHO NO CARRO SÓ ACONTECE COM AS PESSOAS QUE MERECEM.
Por exemplo, é conhecido o caso da moça, que após sofrer um estupro, é avaliada pelas roupas que usa, como se usar mini saia pudesse provocar o abuso. O raciocínio das pessoas que pensam assim é:"Ela mereceu, pois usava roupas curtas, eu não uso, assim estou segura."
Bem, fato semelhante ocorre no mundo dos negócios, e muitas vezes, escutamos que "João quebrou porque não foi previdente. Veja só que aplicaram um golpe nele e não pagaram a mercadoria." Novamente, as pessoas não querem imaginar, que mesmo uma pessoa precavida, pode sofrer infortúnios, pode ser enganada, pode ter azar. Não se deve é claro considerar que o azar, ou a sorte, são as razões fundamentais do sucesso, mas ainda assim, temos que tomar cuidado ao avaliar os erros dos outros, pois normalmente há lições a serem aprendidas ali, mas elas não são garantias para ninguém.
Se ainda não convenci, pense em quantas empresas terminaram por problemas entre os sócios. Boa parte dos empreendedores sabe que sociedades são arriscadas, mas preferem ingressar num novo negócio acompanhados. Se eles vierem a ter problemas com os sócios, será que foi falta de "informação e preparo"?
Não se esqueça portanto que sorte existe, azar certamente, e esforço também.

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Parceria pode potencializar seu negócio.

No mundo dos negócios, sempre cabe mais um



Pequenas empresas aumentam o faturamento em até 500% ocupando preciosos espaços dentro de estabelecimentos de maior porte


por Patrícia Masan.

O que tem a ver uma loja de produtos para festas com uma chocolateria? Tudo! Na loja Cristal Festas, em Goiânia (GO), esses dois
negócios funcionam num mesmo espaço. Segundo o proprietário Stel-Mar Ferreira da Cunha, a parceria trouxe mais clientes para os
dois empreendimentos, pois quem vai até a loja comprar objetos para festa, acaba encomendando bombons e vice-versa.
"Tenho vários parceiros que montaram suas lojas dentro da minha. Dessa forma, ganho porque ofereço comodidade e agilidade para
meus clientes. Eles sabem que aqui vão encontrar tudo o que precisam, num só lugar", revela Ferreira.
Por outro lado, para os empresários da Néctar de Chocolate – lanchonete e chocolateria, a união reduziu as despesas pela metade.
"Antes éramos apenas clientes da Cristal Festas; hoje, somos parceiros. Continuo sendo cliente, mas com um diferencial: agora
compro a matéria-prima, no caso o chocolate, com preço de custo. Também reduzi minhas despesas pela metade, pois não gasto
mais como aluguel, luz e água", conta o empresário Felipe Guilherme Lima.
A Néctar de Chocolate atua no mercado há seis anos. Entretanto, de acordo com a gerente de vendas, Hosana Alves de Lima, nos
últimos seis meses, desde que a empresa passou a comercializar seus produtos e serviços na loja de Ferreira, conseguiu ter um
'boom' de crescimento. "Tivemos um aumento de 500% no volume de vendas. É espantoso. Acredito que isso aconteceu porque
tivemos a sorte de encontrar um parceiro que casou o fornecimento do principal produto com o ponto de venda", revela.
Outro parceiro da Cristal Festas é a loja Papel de Arroz, especializada em bolos com fotos decorativas. De acordo com o empresário
Laudelino Soares Dias Neto, o movimento de clientes triplicou. "No meu caso, ter um ponto de venda dentro da Cristal Festas fez
toda a diferença. Encontrei um espaço perfeito, porque é onde o meu público está", afirma.
Entre as três empresas citadas, não há divisórias. O objetivo é que o cliente de uma veja claramente os produtos da outra. Segundo
os empresários, essa estratégia é essencial. Afinal, nos três casos, as compras acontecem uma 'colada' na outra. "Para este tipo de
parceria dar certo, é importante que os negócios sejam integrados. Eles têm que compartilhar o mesmo público", explica Ferreira. A
Cristal Festas está há oito anos no mercado e emprega cerca de 80 pessoas.

Serviço:
Cristal Festas - (62) 3291-2895
Rua José Hermano nº 399 - Setor Campinas – Goiânia (GO)
Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás) - (62) 3250-2268

Comentário: Trata-se de um caso de sinergia, e normalmente as sinergias entre empresas são relações ganha - ganha. O empreendedor deve ficar atento para não acreditar que negócios "concorrentes", como uma loja que vende chocolate, e outra que vende bolos, são sinérgicos. Na maior parte das vezes isso é incorreto.

quarta-feira, 11 de abril de 2007

PALESTRA EMPREENDEDORISMO: OPORTUNIDADES PROFISSIONAIS 12/04

Erudito - FEA/USP - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP

Palestra
PALESTRA EMPREENDEDORISMO: OPORTUNIDADES PROFISSIONAIS

Período: 12/04/2007

Agenda:

Realização: Coordenação Temática de Empreendedorismo.

Responsável: Prof. Dr. Silvio Aparecido dos Santos


Obs: Das 17h30 às 19h, na Sala Congregação do FEA-1. Informações: 3091.6047, com Glauco Marques ou Rubens Nighossian.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

domingo, 8 de abril de 2007

sábado, 7 de abril de 2007

Sobre o ensino da administração.

Eder Luiz Bolson , em artigo publicado no site http://www.administradores.com.br, observa que a
"A máquina educacional está lenta e enferrujada. Ela funciona da mesma maneira e anda sobre os mesmos trilhos desde o início da revolução industrial. Ela foi concebida pelas elites para transformar os indivíduos em bons e fiéis empregados. Os conhecimentos e habilidades são ministrados para construir pessoas que, depois de formadas, só funcionarão razoavelmente quando ligadas na tomada do emprego. Infelizmente, o desemprego é crescente e irreversível em todo planeta. Infelizmente o sistema de ensino continua sem perceber que o cenário já mudou. Continua sem perceber que é preciso mudar o enfoque. Que o emprego é importante, mas não é o único meio de aplicar os conhecimentos e habilidades recebidos pelos alunos. Que é necessário forjar atitudes empreendedoras nos estudantes. Que é preciso valorizar mais o individuo que gera seu próprio sustento, sem ter um patrão. Que é necessário e urgente começar a desenvolver pessoas dotadas de visão de futuro, perseverantes e preparadas para o processo de sonhar, planejar e construir seu próprio caminho."
A realidade porém, é ainda píor que essa, posto que a "máquina educacional" não busca preparar o jovem para o mercado de trabalho, mas ao contrário, ensiná-lo técnicas e métodos que não encontrarão lugar no exercício profissional. A ploriferação das faculdades de "terceira linha", fez explodir o ensino "desprovido de relação com a realidade". Sabe-se que a maior parte das pessoas formadas em faculdades de terceira linha, não conseguiram cargos de administração, ou gerência. Entretanto, ao invés de ensinar a estes, como preparar uma boa apresentação profissional, como fazer um projeto de vida, de carreira e até de um futuro negócio, estas faculdades preocupam-se em melhor a nota no provão. Como o provão avalia, baseado num currículo que pergunta quem foi Taylor, ou as funções do gerente para Fayol, os estudantes são ensinados a decorrar estes dados, mas ignoram o essencial, que é a construir relações entre eles e a aplicação prática deste conhecimento. Triste, pois não será útil para empreendeder, e também não será útil para conseguir um emprego.

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Publicação Interessante.

A revista Pequenas e Médias empresas da Exame dá um salto neste tipo de publicação ao trazer casos de empresas que realmente inovaram, e sair do modelo "franquias de sucesso" que são assunto quase unanime das concorrentes.

Recomendo.

quinta-feira, 5 de abril de 2007

A necessidade é a mãe da inovação.

Observe a matéria abaixo:


ONU prevê secas e falta de água para mais de um bilhão
Onde estão os empreendedores que vão encontrar uma solução para isso e ainda faturar milhoes no processo? Não sei, mas quem viver verá que eles surgirão em breve... A necessidade é a mãe da inovação.

quarta-feira, 4 de abril de 2007

Evento - Nova Lei da Microempresa

NOVA LEI DA MICROEMPRESA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA O EMPREENDEDORISMO CARLOS ESTELLITA CAVALCANTI PESSOA FILHO Instituto EndeavorJULIO CÉSAR DURANTESebrae-SP
PRINCIPAIS TÓPICOS
Qual influência a Lei da Microempresa exerce na vida do EmpreendedorOrientações para ser bem sucedido como EmpreendedorOportunidades de Negócios
DATA:
10 de Abril de 2007 – Terça Feira
HORÁRIO:
18h50 às 20h30
LOCAL :
Conselho Regional de Administração de São Paulo
ENDEREÇO:
Rua Estados Unidos, 865 - Jardim América - SP
Confirme sua presença11.3082-7066 com Elis Regina/Érika ou pelo e-mail crasp@crasp.net, estacionamento no local.
REALIZAÇÃO

Grupo de Excelência de Estudos de Empreendedorismo e Inovação

O segredo do empreendedor - Por Paulo R. Silva

Tenho certeza, que os futuros empresários ou empreendedores elaborando o seu Plano de Negócio, não serão mais os mesmos, no que trata-se do mundo empresarial.
É fato, que na vontade de abrir um negócio, checamos todos os quesitos necessários, mesmo assim, isto não é uma garantia de sucesso, pois mesmo conhecendo os instrumentos, temos a grande interferência da parte comportamental, as atitudes do futuro empresário/empreendedor.
Por que digo empresário/empreendedor? “Nem todo empresário é um empreendedor , mas todo empreendedor poderá ser um empresário de sucesso”. Eu digo, poderá! Não significa uma garantia de sucesso! O lado comportamental é o grande diferencial. "Paulo Roberto Silva dos Santos - UMC Campus Villa Lobos.