quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Motivação empreendedora.

Afinal se o empreendedor interno (corporativo) já é motivado naturalmente, porque tantas discussões sobre campanha de motivação para estimulá-lo. Alguns defendem que importante mesmo é não desmotivá-los, bloqueando as suas sugestões. Como é na sua empresa?

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Semana Global do Empreendedorismo

País recebe Semana do Empreendedorismo
Evento será no Brasil entre os dias 17 e 23 de novembro do próximo ano; meta é envolver 1 milhão de pessoas com o tema "Empreender e ter sucesso não é fácil em nenhum lugar", diz Paulo Veras, diretor-geral do instituto Empreender Endeavor FERNANDO CANZIAN DA REPORTAGEM LOCAL Entidades de apoio a novos negócios pretendem reunir cerca de 1 milhão de pessoas em 2008 no Brasil para promover o empreendedorismo. Em sua quinta edição mundial, será a primeira vez que a Semana Global do Empreendedorismo acontecerá no país, entre 17 e 26 de novembro de 2008, com a participação de estudantes e jovens empresários. Paulo Veras, diretor-geral do instituto Empreender Endeavor, entidade sem fins lucrativos de promoção de novos negócios, é um dos organizadores do evento, que deve ter o apoio de outros 20 órgãos. Ele diz que "empreender e ter sucesso não é fácil em nenhum lugar". Em entrevista à Folha, Veras dá dicas de áreas promissoras e os cuidados que os novos empreendedores devem ter. A seguir, os principais trechos da entrevista: FOLHA - Pesquisa do IBGE mostra que 45% dos negócios abertos desde 1997 no país já fecharam. Dados do Banco Mundial revelam que aqui é um dos piores lugares para fazer negócios. Isso está mudando? PAULO VERAS - Temos de separar duas coisas. Primeiro, deixar claro que empreender e ter sucesso não é fácil em nenhum lugar. No Brasil, não é mais difícil do que em outros lugares. O Brasil tem dificuldades diferentes. Mas todo mundo acha que é muito fácil empreender nos EUA. Não se leva em consideração a competição que tem lá, que é muito mais forte do que no Brasil, o profissionalismo dessa competição. Por exemplo, montar uma empresa no Silicon Valley [Vale do Silício, na Califórnia], onde as pessoas são disputadas a tapa. No Brasil também há competição, mas é em outro nível. Ter sucesso é difícil em qualquer lugar. Por que morrem tantas empresas? Em geral, há falta de preparo dos empreendedores. As pessoas têm uma idéia, mas não têm nenhum tipo de organização financeira, não entendem o básico de fluxo de caixa, não têm disciplina. Estamos lutando para conseguir diminuir essa lacuna, mas o empreendedor em geral, no Brasil, é muito despreparado. FOLHA - Para alguém pensando em abrir um negócio, independentemente da área, o que o sr. recomenda? VERAS - Primeiro, você tem de fazer um negócio em alguma área que goste, porque o teu negócio vai ser a tua vida. Você vai passar mais tempo no negócio do que em casa com a família. Segundo: pensar bem ou pesar o tipo de negócio e quanto de investimento você precisa. Tentar achar um negócio que precise de menos investimento. O capital no Brasil ainda é muito caro, e capital para empreendedor é difícil em qualquer lugar do mundo. O pessoal acha que lá fora é superfácil, mas também não é. Quanto menos capital, melhor. Terceiro: é muito importante tentar um modelo de negócio que tenha receita corrente, em que você não precise "matar um leão por dia". Um modelo em que você não precise vender todo dia para ter receita. Alguma coisa que tenha afinidade com o cliente, que pague uma anuidade, que os clientes passem a usufruir aquilo e que fiquem meio travados ali, porque eles gostam e não querem mudar. Depois disso, o fundamental para crescer é montar uma equipe muito boa, e acho que isso ainda é uma coisa pouco valorizada no Brasil. Se você quiser fazer um negócio dar certo, crescer, se perenizar para daqui a 10, 20, 30, 40 anos, você precisa, realmente, ter valores e princípios muito sólidos e montar uma equipe que trabalhe dentro desses valores. FOLHA - Nesse novo cenário, que alguns acreditam ser um círculo virtuoso no Brasil, onde o sr. vê bons nichos de negócio? VERAS - O Brasil está crescendo muito na área de serviços. É um setor que, efetivamente, precisa de pouco investimento. Há muitas empresas começando também na área de tecnologia da informação. Há boas escolas nesse setor e, por isso, há boa disponibilidade de mão-de-obra competente. Esses engenheiros de software custam muito menos aqui no Brasil do que nos EUA ou na Índia. FOLHA - Nesse contexto, qual o papel do Endeavor? VERAS - Somos uma instituição sem fins lucrativos. Nosso único interesse é o desenvolvimento do Brasil. Acreditamos que, para isso, a única forma é ter uma massa de empreendedores de alto impacto. Gente que pense grande, trabalhe direito, queira chegar longe, empregue muitas pessoas. Temos duas frentes de atuação: identificamos e apoiamos empreendedores que têm potencial para gerar esse desenho e ajudar a inspirar e a motivar novos empreendedores a seguir essa trilha. Outra frente é a disseminação do conhecimento. No site do Endeavor [[2]www.endeavor.org.br], de graça, você pode encontrar dicas de como fazer um plano de negócios, como levantar recursos, exportar ou gerenciar pessoas. Temos um processo de seleção que é aberto a todo mundo. Uma empresa que acha que pode crescer muito, que é inovadora, que hoje fatura entre US$ 1 milhão e US$ 15 milhões por ano, pode se inscrever nesse processo. Se acharmos que realmente tem muito potencial, podemos apoiar esse empreendedor. É um apoio de transferência de conhecimento. Temos uma rede de 400 voluntários, como Jorge Paulo Lemann (acionista da InBev e Americanas), Emílio Odebrecht (Construtora Odebrecht), Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza) e Pedro Passos (Natura). São pessoas com muita experiência e que se dispõem a transferi-la para os empreendedores que estão começando. Hoje, 67 empreendedores têm o apoio direto do Endeavor. A cada ano colocamos mais alguns, de sete a dez. FOLHA - Os srs. pretendem trazer a Semana Global do Empreendedorismo para o Brasil. O que é isso? VERAS - Vai acontecer de 17 a 26 de novembro de 2008. Não é um movimento do Endeavor, mas mundial. O movimento foi iniciado pelo Gordon Brown (atual premiê britânico) em 2004, na Inglaterra. Este ano foi a quarta vez que eles fizeram [o encontro] e envolveram mais de 500 mil pessoas na Inglaterra. Em geral, jovens de 13, 14, até uns 30 e poucos anos. E colocaram esses jovens em contato com o empreendedorismo. No Brasil, queremos envolver pelo menos 1 milhão com esse tema, com competições, jogos nas escolas, fazendo miniempresas. Já são 20 organizações que estão nessa coalizão para promover a Semana Global de Empreendedores no Brasil.
DATA: 10/12/2006
HORÁRIO: 19h30
LOCAL: Armazém Devassa (Antigo Madalena) Rua Visconde de Pirajá, 539 - Ipanema Rio de Janeiro RJ
Tel.: 21 2540 8380

sábado, 8 de dezembro de 2007

INOVAÇÃO, COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE - CASOS E EXPOSIÇÕES

15º SEMINÁRIO PRÓ-FUTURO: “INOVAÇÃO, COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE - CASOS E EXPOSIÇÕES"

Das 14h às 19h30, na Sala da Congregação, FEA-1 “Sustentabilidade e Responsabilidade Social” Coordenação: Dr. Ewaldo Russo“Inovação e Empreendedorismo”
Coordenação: Prof. James Wright“Mercados e Competitividade”
Coordenação: Prof. Oscar BoronatResponsável: Prof. Dr. James WrightVagas limitadasProgramação completa e inscrições gratuitas pelo site
www.fia.com.br/profuturo
Infos.: 3818-4021

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

2º Congresso Internacional de Educação e 7ª Feira do Jovem Empreendedor Joseense

São José dos Campos, 30 de novembro de 2007

2º Congresso Internacional de Educação e 7ª Feira do Jovem Empreendedor Joseense já têm data marcada

A Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Secretaria Municipal de Educação, já definiu o período em que vão acontecer os eventos que movimentam a Educação na cidade e região. Em 2008, o 2º Congresso Internacional de Educação será realizado nos dias 24,25 e 26 e a 7ª Feira do Jovem Empreendedor Joseense no período de 24 a 27 de junho, ambos no Parque Tecnológico.

Os organizadores pretendem alcançar o mesmo sucesso de público obtido em 2007, quando a 6ª edição da Feira e a 1ª edição do Congresso Internacional aconteceram simultaneamente ao 8º Encontro Virtual Educa Brasil e reuniram mais de 120 mil pessoas, nas dependências do Parque Tecnológico (área da antiga Solectron).

Naquele período, a cidade de São José dos Campos foi considerada a “Capital Mundial da Educação”.

Mais informações a respeito da 7ª Feira do Jovem Empreendedor Joseense e do 2º Congresso Internacional de Educação, nas próximas edições desta newsletter.


Notícias do 2º Congresso Internacional de Educação e 9º Feira do Jovem Empreendedor Joseense é uma newsletter semanal produzida pela Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Educação de São José dos Campos.

Contato: smeimprensa@sjc.sp.gov.br ou smeimprensa2@sjc.sp.gov.br, telefones (12) 3901-2150 ou 3901-2000.

Fale com a gente! Faça sua sugestão e dê sua opinião sobre este informativo por telefone ou e-mail.

IV Encontro de Empreendedores do IBMEC

O Centro de Empreendedorismo do Ibmec São Paulo tem orgulho de
convidá-lo para o IV Encontro de Empreendedores, que abordará o tema:

Planejamento nas Pequenas e Médias Empresas

Planejar é fundamental para o sucesso e mantenimento de qualquer empresa, independentemente de seu porte. Planejamento estratégico, orçamento, previsões e projeções, ferramentas, controles e acompanhamento são peças-chaves para o bom desempenho da empresa e serão temas abordados no encontro.

O Encontro de Empreendedores é uma ótima oportunidade para você, que tem seu próprio negócio e é empreendedor, trocar experiências e idéias com outros empresários, bem como problemas do dia-a-dia de sua empresa e também suas soluções. É uma maneira de discutir boas práticas de gestão e trocar dicas com pessoas que enfrentam os mesmos problemas na condução de seus negócios. Por fim, os encontros promovem a criação de uma rede de contatos entre empresários.

PALESTRA DE ABERTURA
Palestrante: Dirk Thomaz Schwenkow
Dirk Thomaz Schwenkow estudou na EAESP FGV: administração de empresas, pós graduação com concentração em produção e mestrado com concentração em economia. Em 1984/85 fez o MBA no INSEAD, em Fontainebleau/França. Dirk trabalhou nas seguintes empresas: DOW e BAYER (Brasil), membro do board da BERTELSMANN (Espanha), diretor geral da DAMART ITALIA e AUSTRIA, presidente do Grupo MELTRA Alemanha e atualmente presidente da Mercuri Urval America Latina. Foi professor da EADA Barcelona e da Webster University Vienna.

PAINÉIS DE DISCUSSÃO
Painel 1 Planejamento e Estratégia, análise SWOT, Visão e Missão, Criação de valor, A Estratégia do Oceano Azul.

Painel 2 Pessoas e suas Competências alinhadas e a serviço da estratégia, Talentos, A revolução dos pontos fortes e Liderança.

Painel 3 Conceitos de métricas e indicadores de análise de desempenho/ acompanhamento (KPI´s), Scorecard, Alinhamento de recursos.


PROGRAMA
Chegada e registro dos participantes 13h30
Palestra de abertura no Auditório Max Feffer 14h00
Divisão em grupos / salas de Apoio 15h00
Coquetel e networking 17h00
Encerramento do evento 19h00

Data: 07 de dezembro de 2007 (Sexta-feira)
Horário: À partir das 13h30
Local:
Campus IBMEC SÃO PAULO
Rua Quatá, 300
Auditório Steffi e Max Perlman - Térreo

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Empreendedorismo Coorporativo - Marcos Hashimoto

Palestra no CRA SP, com o professor Marcos Hashimoto, coordenador do Centro de Empreendedorismo do IBMEC,


Procedimentos e Atitudes que possibilitam o espírito empreendedor nas organizações.
DIA 29 de Novembro de 2007
18h50 às 20h30.
Na Rua Estados Unidos, 865/889 - Jd. América - CEP 01427-001 - São Paulo-SP
Fone (11) 3087-3200 com Érica.

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

BERÇO DE NOVAS EMPRESAS

BERÇO DE NOVAS EMPRESAS

2ª Feira de Negócios e Inovação TecnológicaA UMC Lapa, Parque Villa-Lobos vai promover na semana, de 3 a 5 de Dezembro das 18h00 às 22h00, a 2ª Feira de Negócios e Inovação Tecnológica. O projeto faz parte das atividades acadêmicas do Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais (Gestão Empresarial). Projeto executado pelos alunos, sob a supervisão dos professores José Pereira Castro e Paulo Roberto Silva dos Santos. Concomitante à realização da feira, teremos palestras de ex-alunos que tornaram seus projetos negócios reais, lançando-se no mercado empresarial com sucesso.

Prof. Paulo Roberto S. Santos
UMC Lapa

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Heutagogia

O termo, criado em 2000 por Hase e Kenyon, propõe em contraposição a andragogia e a pedagogia um processo de ensino onde não há professor. Na Heutagogia, o aluno é o único responsável pela aprendizagem, sendo um modelo alinhado às inovações tecnológicas de e-learning.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Seminário sobre INOVAÇÃO - 14 de Dezembro de 2007.

Inovação, competitividade e sustentabilidade:
Casos e proposições. 14 de Dezembro de 2007.
-----
14:00 – 14:20 hs Credenciamento e retirada de crachás
14:20– 14:50 hs Abertura e Palestra “A formação de lideranças para o futuro” - Prof. James Wright
15:00– 15:30 hs Sessões paralelas de apresentação e debate dos Trabalhos de Conclusão do Curso
15:30 – 16:00 hs Coffee-break
16:00– 17:30 hs Sessões paralelas de apresentação e debate dos Trabalhos de Conclusão do Curso
17:30 – 18:00 hs Fechamento - Prof. James Wright
18:00 – 19:30 hs Coquetel
TEMAS ____________________________________________________________________________
Tema 1: Sustentabilidade e Responsabilidade Social – Coordenação: Dr. Ewaldo Russo
Estudo de viabilidade de uma empresa de consultoria em sustentabilidade para o setor agropecuárioAlexandre Martins, Marcelo Ávila, Dario Mandarino
Responsabilidade social corporativa – práticas positivas no Brasil Carlos Carvalho , Denílson Meguro e Lílian Miranda
Como gerir serviços em sinergia com gestão ambiental – um caso em banco comercial de varejoFábio Mendunekas, Marco Antonio Giarola, Renata Médici e Ronaldo Picinini
Tema 2: Inovação e Empreendedorismo – Coordenação: Prof. James Wright
Estruturas organizacionais e sua contribuição na implantação da estratégia de empresa – Caso Henkel Sergio do Valle, Luiz Duarte, Ricardo Zangirolami, Lars Muller
Executivos em busca de novo caminho profissional: mitos e verdades sobre Empreendedorismo no BrasilIsabela Rennó, José Neves, Maria Elizabeth, Osvaldo Gazola
PMEs estrangeiras no Brasil: um estudo sobre os motivos para internacionalizar, formas de entrada e os desafiosElena Novas, Gabriele Tischler, Karine Jodar
Adoção de inovações numa empresa internacionalizada – uma proposta de modelo analítico dos condicionantes da inovação em uma operadora internacional de telecomunicaçõesRafael Franck Darriet, Luis Fernando Guedes, Nelson Yoshida
Tema 3: Mercados e Competitividade – Coordenação: Prof. Oscar Boronat
Fatores críticos de sucesso no desenvolvimento e gestão de marcas para o segmento de luxoRafael Torezan, Leonardo Chen, José Schütz
O Mercado de serviços para o segmento SOHO no futuro, o surgimento de um mercadoAlexandre Magdalon, Álvaro Lopes, Messias Maduro e Reinaldo Pires
Genéricos: uma análise do setor e propostas para sua melhoriaElaine Rahal e Fabio Arcuri
Uma análise da competitividade do setor de vinhos no Brasil: ambiente, cadeia de valor e elementos de marketingCristina Varela, Marcelo Munerato, Miguel Belli e Simone Katz
LOCAL DO SEMINÁRIO Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – USPAv. Prof. Luciano Gualberto, 908 – 1º andarSala da CongregaçãoINSCRIÇÕES GRATUITAS, VAGAS LIMITADAS! Inscrições: Programa de Estudos do Futuro – (11) 3818-4021 ou pelo e-mail: secretariaprofuturo@fia.com.br

Financiamento para Micro Empresas

SEMINÁRIO: “MECANISMOS DE FINANCIAMENTO A MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA”

Dia 26 de novembro, das 9h às 13h30, no SEBRAE-SP (Rua Vergueiro, 1117 – 6º andar - AuditórioParaíso )

Palestrantes: André Jaunay do Conselho Regional Ile-de-France; Sylvie Leauté (OSEO-ANVAR) e Laurent Auret, Presidente da Empresa Néosens.

Responsável: Prof. Dr. Guilherme Ary PlonskiRealização: NPGT/USPÉ necessário confirmar presença até dia 21 de novembro. Serão entregues certificados de participação. Infos e Insc.: 3818-4011 ou pelo e-mail indicadoE-mail: npgctusp@usp.br

domingo, 11 de novembro de 2007

Semana Global de Empreendedorismo no Brasil.

O Instituto Empreender Endeavor anunciou o lançamento da Semana Global do Empreendedorismo no Brasil, de 17 e 23 de novembro de 2008. A iniciativa faz parte de uma ação global prevista para ocorrer simultaneamente em mais de 50 países. A intenção é promover, em apenas sete dias, milhares de atividades relacionadas à cultura empreendedora, a fim de incentivar esse espírito nos jovens de todo o Brasil e fazê-los tirar suas idéias do papel. O instituto Endeavor busca estimular o empreendedorismo.

A iniciativa é inspirada nas ações combinadas da Entrepreuneurship Week USA e a Enterprise Week UK, realizadas nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, respectivamente, que tiveram a participação de mais um milhão de pessoas e 2.900 organizações que promoveram, aproximadamente, 7.000 atividades.


A Endeavor ajudará as empresas interessadas em participar, a planejarem, desde já , atividades próprias que serão implementadas durante a Semana Global do Empreendedorismo. Algumas dessas atividades são competições de planos de negócios, workshops, desafios, festivais de filmes etc. Os parceiros potenciais auxiliarão a Endeavor na abrangência nacional da comunicação dessa iniciativa, por meio de sua rede de contatos.
Para maiores informações, acesse os sites:
Dica da Rose

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Livro sobre Educação Empreendedora

Aparentemente o livro sobre Educação Empreendedora do grupo de estudos do assunto vai decolar. Em tempos de crise aérea, ao menos alguma coisa levanta vôo neste país. Os diversos autores, dos diversos centros de ensino poderão afinal reunir as experiências e os métodos de ensino, e teremos no Brasil, um guia, dando conscistência ao tema.

O assunto será discutido na reunião da próxima terça, já estou empolgado.

Carlos Lavieri

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Universidade Empreendedora

Seminário: A Universidade Empreendedora e a sociedade do conhecimento.

Expositor: Henry Etzkowitz professor de Newcastle - UK.

DIA 12 de Novembro de 2007 - às 11h30 até 13h30.
Local: FEA/USP, Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 - Sala Ruy Leme, Prédio FEA 1 - Cidade Universitária, São Paulo-SP.
Saiba mais com Sonia 11 3818 4011 - custo de 30,00 Reais, com lanche incluso.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

O Valor do Amanhã - O impacto de nossas decisões - Eduardo Giannetti

Data: 07/11/2007 (quarta-feira)
Início: 9h Término: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor.
O Valor do Amanhã - O impacto de nossas decisões

O Instituto Empreender Endeavor tem a honra de apresentar em seu último Workshop do ano, o economista Eduardo Giannetti, autor do livro “O Valor do Amanhã”, que deu origem à série no programa Fantástico, da Rede Globo.

Todos os dias fazemos escolhas. Desde o básico: o que comer, como cuidar da nossa saúde, do nosso dinheiro, até as grandes decisões: empreender em um negócio próprio, ter mais um filho. Essas são escolhas que definem se a nossa atitude em relação à vida é credora, quem sacrifica o hoje para ter benefícios amanhã, ou devedora, quem quer benefícios hoje e sacrifica o amanhã. De forma simples e didática, Eduardo Giannetti irá falar sobre escolhas intertemporais e como elas podem afetar nossas empresas, nossa sociedade, nossa economia e nossas vidas. Não perca! Venha refletir sobre suas escolhas para 2008.




Palestrante

Eduardo Giannetti nasceu em Belo Horizonte, em 1957. é professor das Faculdades Ibmec de São Paulo e PhD pela Universidade de Cambridge. É autor de numerosos livros e artigos, entre eles Vícios privados, benefícios públicos? (Companhia das Letras, 1997), Felicidade (Companhia das Letras, 2002) e O mercado das crenças (Companhia das Letras, 2003). Auto-engano foi traduzido para cinco línguas.




Inscrição

Este evento é gratuito. Caso você queira comparecer ao evento, faça a sua inscrição http://www.endeavor.org.br/index.asp?conteudo_id=26

IMPORTANTE - APENAS FAÇA A SUA INSCRIÇÃO SE TIVER CERTEZA QUE IRÁ AO EVENTO NO DIA E HORA MARCADOS.

Local:
Campus do Ibmec São Paulo
Rua Uberabinha, s/ nº - Auditório Steffi e Max Perlman – Vila Olímpia - São Paulo-SP

SEMINÁRIO: ENTREPRENEURSHIP EDUCATION: LESSONS LEARNED

Acontece na Faculdade de Economia e Administração da USP.
Dia 5 de novembro de 2007
SEMINÁRIO: ENTREPRENEURSHIP EDUCATION: LESSONS LEARNED
(Sem tradução simultânea)
Das 11h30 às 13h30, na sala Ruy Leme, FEA-1
Palestrante: Prof. Dr. Peter Russo
Responsável: Prof. Dr. Guilherme Ary Plonsky
Realização: Núcleo PGT/USP
Infos: 3818-4011 ou pelo e-mail indicado
E-mail: npgctusp@usp.br

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Kathleen M. Eisenhardt - Empreendedorismo e Inovação

Bate papo com a professora Kathleen M. Eisenhardt, da Universidade de Stanford sobre empreendedorismo e inovação.DIA 29 de outubro de 2007 - No auditório da Poli USP.
A discussão terá a participação dos professores:
Afonso Fleury - PGT/USPMarcelo Nakagawa - Pesquisador da USPGuilherme Plonski - Presidente da ANPROTEC.
Saiba mais ligando para 11 38384011 - Inscrição gratuita.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Palestra do Prof. Rabi Bhagat da University of Memphis

Data: 25/10/2007
Local: Sala Ruy Leme (Prédio FEA-1)

“On Becoming a Global Manager”.
Horário: das 14:30h às 16:30h

“How to Publish in American Journals”
Horário: 16:45 às 18:00

O Professor Bhagat tem atuação destacada na área de Negócios Internacionais e tem publicado consistentemente em revistas como a Academy of management Review, Academy of Management Journal, Journal of International Business Studies e outras. Segue um mini-cv.

12º Fórum de Private Equity, Venture Capital e Empreendedorismo

O GVcepe tem o prazer de convidá-lo para o 12º Fórum de Private Equity, Venture Capital e Empreendedorismo, a realizar-se no dia 24 de outubro de 2007, as 17h00, na sala 704, 7º andar, da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, Av. 9 de julho, 2029 ou Rua Itapeva, 432.


Tema - Do Mestrado ao IPO
Uma idéia, a crença no sucesso da empresa, as parcerias ao longo da sua trajetória
até o lançamento das ações na Bovespa. Eis um cenário que todos estão procurando conhecer, e com os nossos convidados deste mês temos a certeza que conheceremos.



Convidados -
Wolney Edirley Gonçalves Betiol - Bermatech - Presidente do Conselho de Administração
Formado em Engenharia Industrial Elétrica, pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, foi um dos co-fundadores, em 1990, da Bematech, empresa que projeta, desenvolve, fabrica e comercializa produtos e soluções para os mercados de Automação Bancária e Comercial.

Carlos Gustavo Perret Simas:- Dynamo Administração de Recursos - Sócio-Gerente
Bacharel em Ciências Econômicas pela PUC - RJ e curso de Extensão em Finanças pelo Insead-França. Ex-sócio-executivo do Banco Icatu S/A de Jul/1994 a Dez/1999. Participou como Membro do Conselho de Administração e Consultivo de diversas companhias de capital aberto e fechado.

Após a exposição , será aberta aos participantes a oportunidade de compartilhar idéias de projetos empreendedores, ou de investimento. Prepare-se para fazer seu "Pitch de Venda" durante 2 minutos. Não perca esta oportunidade.

Finalizando os trabalhos, haverá um coquetel.

Confirmações
Confirme sua presença através do e-mail camila.moraes@fgv.br até as 12 h do dia 23 de outubro de 2007. As vagas são gratuitas e limitadas.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Fórum do Empreendedor - FGV

Fórum do Empreendedor - GVcenn: A Visão Empreendedora que criou o Wraps

Palestra com Caio Mesquita e Marcelo Ferraz

Data: 06/11/2007

Local: FGV-EAESP

Sala: Salão Nobre

Horário: Às 18h30

A inscrição é gratuita, mas deve ser feita previamente.
Saiba como pelo contato: cenn@fgvsp.br

Empreendedorismo na Prática - José C. A. Dornelas

Próximo dia 25 de Outubro José Dornelas lançará seu livro na Livraria Cultura do Shopping vila Lobos, às 19horas.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Mestrado em empreendedorismo?

Recebi o folder deste curso de master em empreendedorismo:
http://www.biinternacional.com.br/

Não sei se há reconhecimento pelo MEC, mas ainda assim, há o vínculo com a Babson, o que já é sintoma da qualidade.
Abs,
Carlos

Concurso para empreendedores pela EAESP FGVSP

Caros amigos e membros do GVcenn,

Estamos lançando hoje, em parceria com a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, o primeiro Prêmio Empreendedor de Sucesso de Pequenas Empresas & Grandes Negócios. O site oficial do concurso é www.empreendedordesucesso.com.br. Nossa intenção com este concurso é promover o espírito empreendedor, o fomento de novos negócios e encontrar exemplos que mostrem que o empreendedorismo é um caminho, uma alternativa ao tradicional mercado de trabalho.

Gostaria de contar com o apoio de vocês na divulgação desta iniciativa. Por favor, indiquem a empreendedores e outros que possam interessar-se em inscrever histórias de sucesso.

Saudações,

Rene José Rodrigues Fernandes
Coordenador de ProjetosCentro de Empreendedorismo e Novos Negócios
Fundação Getulio Vargas
+55 11 3281 36 27

CIELA - America Latina - 5 conferência de entrepreneurship

11, 12 e 13 de Outubro de 2007Instituto de EconomiaUniversidade Estadual de CampinasCampinas - SP – Brasil

A Rede PyMEs do Mercosul e o Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas em colaboração com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e a Universidade Nacional de General Sarmiento (Argentina) convidam a comunidade acadêmica, funcionários públicos nacionais, estaduais e municipais e organizacionais da sociedade civil a participar da décima segunda Reunião Anual da Red PyMEs – MERCOSUL e da quinta edição de CIELA (Conferência de Investigação de "Entrepreneurship" na América Latina), que se desenvolverá nos dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2007 no Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas.


http://www.extecamp.unicamp.br/12redpymes/portugues/participacion_requisitos.asp

domingo, 26 de agosto de 2007

Pondo as coisas em movimento.



Os empreendedores são famosos pela sua capacidade de ação, e de por as coisas em movimento. Acredito inclusive que esta seja uma boa definição de empreeendedor: "aquele que coloca as coisas em movimento". Na verdade, essa idéia contempla brevemente o que disse Schumpeter ( o empreendedor é aquele que rearranja recursos com ganho econômico) e também Filion ( o emprendedor é aquele que realiza sonhos).
No entanto, muitas vezes o empreendedor não tem a real dimensão das dificuldades que vai enfrentar. As vezes é melhor se afastar e olhar de longe o tamanho do problemas antes de decidir por uma linha de ação.
Motivação não vence o planejamento.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Centro de Empreendedorismo IBMEC



Fórum Mensal do Centro de Empreendedorismo - IBMEC

Porque as empresas fecham?

Nesta edição do Fórum Mensal do Centro de Empreendedorismo do IBMEC SÃO PAULO temos uma programação especial.Iniciamos com a presença da Cristiane Louzada, da Universia, para falar sobre o Prêmio Santander de Empreendedorismo, destinado a graduandos e pós-graduandos que desenvolverem o melhor plano de negócios.Depois o economista Marco Aurélio Bedê apresentará as principais causas do fechamento de empresas e as tendências para as taxas de mortalidade nos próximos anos, com base no histórico das pesquisas realizadas pelo SEBRAE-SP. E por fim, um coquetel de encerramento para troca de idéias e rede de contatos.
Você não pode perder esta oportunidade!

Marco Aurélio Bedê
Economista, Doutor pela FEA/USP, Coordenador do Observatório das Micro e Pequenas Empresas do SEBRAE-SP e autor de diversos livros e artigos sobre micro e pequenas empresas, organização industrial, economia da tecnologia e análise de setores como o automobilístico, o siderúrgico e o de autopeças.
Data:
17 de agosto de 2007 (Sexta-feira)
Horário:
das 18h30 às 19h00 - Palestra Informativa Prêmio Santander/Universiadas 19h00 às 20h30 - Fórum Mensal: Porque as empresas fecham? das 20h30 às 21h00 - Coquetel de Encerramento
Local:
Campus IBMEC SÃO PAULO Rua Quatá, 300 Sala 207 - 2º andar

Compareça e traga um amigo(a). Confirme sua presença clicando aqui.
Contamos com você.
Atenciosamente,

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Prêmio ENDEAVOR & EXAME PME de Empreendedorismo

A Endeavor, organização sem fins lucrativos que procura estimular o empreendedorismo, e a Revista Exame estão com uma oportunidade ótima para divulgar o seu trabalho e criar negócios para sua empresa:

Se você é um empreendedor que foge do convencional para
alcançar o sucesso, inscreva agora a história de sua empresa.
Serão premiados empreendedores em 3 categorias:

Potencial de crescimento: A empresa tem potencial para ser uma das grandes companhias do Brasil? Tem altíssimo potencial de crescimento? Vai gerar empregos e riqueza? Vai contribuir para o desenvolvimento sustentável do país?

Inovação: Esta é uma oportunidade de negócios inovadora? A empresa desenvolveu uma idéia que possui potencial de transformar a sua indústria? Criou ou vai criar um novo mercado?

Obs.: A inovação pode estar presente em produtos ou serviços, ou no modelo de negócios (canal de distribuição inovador, novo modelo de produção, etc.)

Realizações: O empreendedor possui uma história de sucesso? Venceu desafios que pareciam intransponíveis? Fez as coisas certas, da forma certa? É alguém que poderá inspirar as futuras gerações a empreenderem?

Fica a cargo da organização a classificação do empreendedor em uma das categorias.

* A organização do evento se reserva ao direito de, eventualmente, não conceder o prêmio em qualquer das categorias, caso, ao final do processo, conclua que nenhum dos empreendedores inscritos possui a qualificação necessária.

Para saber mais, visite: http://www.endeavor.org.br/premio/
____
Obs: Infelizmente o prêmio restringe-se apenas a divulgação, não envolvendo valores. Se você só se interessa por prêmios que envolvem valores em dinheiro CONHEÇA TAMBÉM O Prêmios Santander de Empreendedorismo que dará 4 prêmios de 50mil.

Neste caso o enfoque são universitários e pesquisadores que têm projetos ou idéias inovadoras (ou seja, premiação para Planos de Negócios).
Inscrições até Setembro. Maiores informações: http://www.universia.com.br/santandereducacao/

terça-feira, 31 de julho de 2007

Inovatec 2007 abre no dia 1º

31/07/2007 Agência FAPESP – Ainda estão abertas as inscrições para os seminários e rodadas de negócio entre representantes da iniciativa privada e das principais universidades e instituições de pesquisa do país na Feira de Negócios em Inovação Tecnológica entre Empresas, Centros de Pesquisa e Universidades (Inovatec), que terá sua segunda edição realizada de 1º a 3 de agosto, na capital paulista.

O objetivo do evento é criar um ambiente de negócios que aproxime as ofertas dos centros de pesquisa e a demanda dos setores industriais. Para isso, além dos espaços de negócios dos estandes, as rodadas de negócios funcionarão de duas formas: mediante agendamento de reuniões e em continuidade aos seminários de demanda e oferta, em que, após as apresentações, haverá sessões para contatos iniciais.

Nos seminários de oferta, as instituições expositoras apresentarão linhas de pesquisa e de serviços tanto em tecnologias industriais básicas como em tecnologias com boas perspectivas de se transformar em novos processos e produtos, enquanto nos seminários de demanda os setores empresariais apresentarão necessidades tecnológicas para posterior aprofundamento com as instituições interessadas.

O evento terá início no dia 1º de agosto, às 8h45, com o seminário “A Lei de inovação tecnológica e o papel das agências de inovação e das fundações de amparo e financiamento a pesquisa na viabilização de projetos entre empresas e instituições de pesquisa: Um balanço dos avanços realizados e cases de implantação”.

Para a sessão de abertura, estão confirmadas as presenças de Cláudio Vaz, presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), entidade responsável pela organização do encontro, Roberto Nicolsky, diretor da Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (Protec), Reginaldo Arcuri, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), e Hugo Borelli Resende, presidente da Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras (Anpei).

Em seguida, Reinaldo Dias Ferraz de Souza, coordenador-geral de Serviços Tecnológicos do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), e Carlos Américo Pacheco, secretário-adjunto da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, falarão sobre o tema “Um balanço da implementação das agências de fomento à inovação nas instituições de Ciência e Tecnologia”.
Às 14h30, os participantes poderão conhecer nos estandes da feira ofertas e demandas tecnológicas das indústrias de: alimentos processados; celulose, papel e embalagens; geração, transmissão e distribuição de energia elétrica; e petróleo e gás natural.

No segundo dia, o seminário “Projeto e implantação de Departamentos de P&D em pequenas e médias empresas. Identificação da necessidade, projeto estratégico, seleção de RH, implementação e gestão” será proferido por Roberto Nicolsky, da Protec, e Hugo Borelli Resende, da Anpei.

“Onde e como praticar e financiar a inovação tecnológica: pesquisa dentro da empresa, parcerias com instituições de pesquisa, licenciamento e fontes de financiamento”, “FAPESP: Financiamento de pesquisa para a inovação tecnológica” e “Linhas de financiamento à inovação nas empresas e a contratação de pesquisadores: conheça os produtos Finep e o processo para obter os recursos” serão outros temas discutidos a partir das 11h45.

A tarde do dia 2 também será destinada ao conhecimento das ofertas e demandas tecnológicas da indústria, desta vez da automotiva e de autopeças, petroquímica, química e de plásticos e siderúrgica, metalúrgica e fundição. “Oferta de serviços de tecnologia industrial básica: metrologia, certificação, ensaios e desenvolvimento de protótipos” e “Recursos para inovação na empresa e patentes e gestão da propriedade intelectual” também serão outros assuntos discutidos.

No dia 3, último do evento, serão apresentadas ofertas de linhas de pesquisa em nanotecnologia e de serviços de tecnologia industrial básica. As palestras “Prospecção tecnológica para nanotecnologia” e “As normas técnicas como paradigma para inovações em produtos: utilizando a base de dados da ABNT” serão dadas, respectivamente, por Leandro Lopes de Faria, coordenador executivo do Núcleo de Informação Tecnológica em Materiais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e Carlos Santos Amorim Jr., diretor de Desenvolvimento e Informação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Também serão expostas ofertas e demandas tecnológicas em: meio ambiente e saneamento; indústria da defesa; indústria de máquinas e equipamentos; indústria farmacêutica; indústria da higiene pessoal, perfumaria e cosméticos; indústria de equipamentos e suprimentos médicos, hospitalares e odontológicos; e indústria eletroeletrônica, tecnologias da informação e telecomunicações.

A FAPESP participará do evento no estande que reunirá as instituições de pesquisa do Estado de São Paulo. Estarão representadas as universidades estaduais Paulista (Unesp), de Campinas (Unicamp) e de São Paulo (USP), as universidades federais de São Carlos (UFSCar) e de São Paulo (Unifesp), a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), os institutos Biológico, Butantan, de Pesquisas Tecnológicas (IPT), de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), de Economia Agrícola (IEA), Agronômico (IAC), de Tecnologia de Alimentos (Ital), de Pesca, de Zootecnia e a Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec).

Os agendamentos nas rodadas de negócios e o credenciamento de visitantes podem ser feitos pelo site da Inovatec 2007. Os representantes das empresas interessadas podem solicitar reunião com até cinco instituições expositoras.
Além de aproximar empresas de centros de pesquisa, o encontro pretende fomentar a prática inovativa dentro das próprias empresas, estimulando um maior investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D) e a adoção de visões inovadoras sobre como desenvolver negócios.
A Inovatec 2007 será realizada no Centro de Eventos São Luiz, na rua Luís Coelho, nº 323, Cerqueira César.
Enviado por Odair Soares.
AGÊNCIA FAPESP - R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo-SP - BrasilTel: (+55) 11 3838 4000 Fax. (+55) 11 3838 4117 - E-mail: agencia@fapesp.br

quarta-feira, 25 de julho de 2007

V EGEPE – Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas

São Paulo / SP
05 a 07 de março de 2008

O V EGEPE – Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas são temas desafiadores e contemporâneos, que estão na pauta da realidade brasileira. Discussões dessa natureza vêm ampliando espaços na agenda de pesquisadores, empreendedores, diferentes segmentos empresariais, universidades e entidades governamentais e não-governamentais, na medida em que esta é uma indiscutível alternativa de melhoria social e econômica.

O V EGEPE – Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas será realizado de 5 a 7 de março de 2008, na cidade de São Paulo, SP, na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O PPA Universidade Estadual de Maringá, nesta edição do evento, em parceria com a Universidade Presbiteriana Mackenzie, faz um convite para a submissão de artigos científicos, relatos de pesquisas e experiências diversas, que contribuam para o avanço do conhecimento na área de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas nacionais e internacionais.

Saiba mais em:
http://www.mackenzie.com.br/congressos/egepe2008/index.html

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Roundtable on Entrepreneurship Education: Latin AmericaRio de Janeiro, Brazil October 30 - November 1, 2007




Roundtable on Entrepreneurship Education: Latin AmericaRio de Janeiro, Brazil October 30 - November 1, 2007

The Stanford Technology Ventures Program, Ibmec RJ, and University of São Paulo cordially invite entrepreneurship educators to participate in the annual Roundtable on Entrepreneurship Education (REE) in Latin America. This conference gathers business, science, and engineering faculty from leading universities around the region with the goal of accelerating entrepreneurship education. The program schedule, hotel information, and registration information can be found here: http://ree.stanford.edu/la
The REE LA program includes world-class industry speakers, thought-provoking panels, and breakout workshops that focus on developing university programs, courses, and research on entrepreneurship, innovation, and leadership in new enterprises.
Don't miss this opportunity to share your success stories, to learn from your colleagues in other schools, and to hear from industry leaders.The general theme for REE LA in Rio de Janeiro will be "know-how". Please see the call for papers on entrepreneurship education techniques below.
REE LA is one of a series of international conferences for entrepreneurship educators around the world, including:

REE Asia (Seoul, South Korea, June 20-22)
REE Europe (Barcelona, Spain, September 19-21)
REE USA (Stanford, California, October 24-26)
For information about all of these conferences, visit: http://ree.stanford.edu/
The early bird price for REE LA is US $250. After Sept 15 the price increases to US $300. In order to guarantee a spot at the conference, we suggest that you register early.
Looking forward to seeing you in Rio!
Conference Directors:Marcelo Salim (IbmecRJ) Jose Antonio Lerosa de Siqueira (USP) Tina Seelig (Stanford University)
REE Latin America: Call for Papers on Entrepreneurship Education Techniques
Entrepreneurship education is a lifelong activity and entrepreneurship educators are always developing new ways to teach students how to be entrepreneurial. Our challenge is to teach topics such as creativity, opportunity recognition, leadership, negotiation, business planning, strategy, and execution in ways that make the concepts come alive for our students. Many educators have developed their own educational approaches by adapting existing methods to their specific needs and by creating new teaching tools.

The general theme for the Roundtable on Entrepreneurship Education for Scientists and Engineers – Latin America (REE LA) in Rio de Janeiro will be "know-how". Educators from all over the world will discuss the new challenges in entrepreneurship education and how they are being faced in their own countries. Also, we will discuss and share teaching approaches, materials, and experiences.

In order to collect as much about this subject as we can, we will introduce a new feature to the REE Conference. There will be a call for papers related to techniques for teaching entrepreneurship, inside and outside the classroom. It will be a great opportunity for showing, sharing, and improving teaching skills.

Tell us about your favorite class or your most interesting teaching technique. Please include all of the following information in a one-page abstract:
Professor(s) Name(s) and e-mail(s)University and ProgramSubject and Objectives For suggestions, check http://www.entre-ed.org/Standards_Toolkit/standards_detail.htm Number of students involved and their level of educationThe time, materials and assistants neededDescription of the course, class, or exercisePhotos and any other material may be attached

The paper itself should be limited to four pages.
Submissions should be sent to Jose Lerosa Siqueira (jals@usp.br). Selected papers will be published in a book. The authors must accept that the copyrights for the papers be donated to Endeavor International (http://www.endeavor.org/).Important deadlines:

Deadline for applying papers: August 31.Definition of the 30 best papers: September 14.
Four papers will be selected for discussion during REE LA Rio. The authors will be asked to prepare a 20-minute oral presentation for the participants. Those four papers will be selected by September 21 by the REE Steering Committee. Registration fees for REE will be waived for those four chosen participants.
This part of REE LA is organized by Marcelo Nakagawa and José Lerosa de Siqueira (both from Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Centro Minerva de Empreendedorismo).
Unsubscribe: Please e-mail Christina Harvett and put "Unsubscribe" in the subject headerWeb: http://stvp.stanford.edu/E-mail: charvett@stanford.edu Stanford University . 380 Panama Street . Stanford . CA 94305

Diretório de Periódicos abertos para pesquisa.

Aqui vocês encontram uma série de periódicos e jornals que estão liberados para pesquisa.
http://www.doaj.org/doaj?func=home

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Empretecos


Inscrições:
http://www.guiadosempretecos.com.br/evento/Guia3/index.asp

domingo, 8 de julho de 2007

Empretecos

As pessoas que já fizeram o treinamento do empretec, volta e meia se esforçam para se unir e se ajudar.
Eis uma boa idéa:
http://www.guiadosempretecos.com.br/home.asp

terça-feira, 3 de julho de 2007

ATA REUNIÃO DO FÓRUM DE EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA

Data da reunião: 26 de Junho de 2007
Local: ESPM

Presentes: Rosa Villares – UNIFIEO
Galba – UMC
Paulo Roberto – UMC
Emerson Viera – SEBRAE
Álvaro Mello – FEA USP
Carlos Amorim – FEA USP
Zilá – UNIFIEO
Siquiera – POLI USP
Silvia – POLI USP

Informes e debates (para esquentar):
1 - Comentários sobre a Feira de empreendedorismo de S. José dos Campos – 126.000 participantes.
2 – Diferentes eventos foram lembrados no encontro, os membros vão me repassar às informações e será publicado nesta página.
3 – Breve discussão sobre o aprendiz 4.

Sugestões de ação:
1 – Posicionar-se politicamente.
2 - Procurar a frente parlamentar de apoio à pequena empresa e levar uma proposta de política pública para o empreendedorismo.


Emerson Viera
A apresentação do Emerson foi anexada ao grupo, aqui se encontra um resumo dos pontos principais colocados:

1 – A atuação do SEBRAE acontece como orientação, agente de fomento e coordenação no inicio e num segundo momento procura se afastar desta coordenação, deixando a cargo dos agentes à mesma. Isso acontece em diversas esferas, por exemplo, nos Arranjos Produtivos Locais.

2 – O Empreendedorismo precisa ser visto como um valor da sociedade. Se não for um “dado cultural”, as ações e cursos não encontraram respaldo e serão inúteis.

3 – Essa cultura do emprendedorismo deve ter em foco três aspectos “cultura da colaboração” “cultura da inovação” e “respeito ao meio ambiente”. Todas essas cerceadas por valores.

4 – Se os valores não estão presentes, teremos empreendedores como o Sr. “Marcola”. Algo a se evitar.

5 – O SEBRAE defende que ensino do empreendedorismo e fomento ao empreendedorismo acontece o ano todo, todos os anos de educação. Pois isso não se ensina, se absorve. “Disciplina de empreendedorismo solta do restante é inócua” e “Nosso foco é o professor” são os motes da apresentação.

6 – Atualmente o SEBRAE procura uma associação com o meio acadêmico e a diminuição do OBAOBA no ensino. Menos “achismos” e mais foco, arte e ciência. O grupo é muito bem vindo neste sentido. Há um circulo vicioso no ensino, professores que ensinam no “empretec” e formam os novos professores que pensam da mesma forma. Está aberta a chance para inovar.

7 – O SEBRAE quer do meio acadêmico: Modelos, estudos de caso para ensino, novas técnicas. Além disso está desenvolvendo o “Portal SEBRAE no CAMPUS”.

8 – O SEBRAE se dispôs a auxiliar para trazermos parte do evento REELA para São Paulo – ISSO É IMPORTANTE, URGENTE e pode significar a consolidação do grupo.

9 – No mesmo sentido, um evento para o meio acadêmico seria bem vindo, e ambas as idéias podem ocorrer conjuntamente.

Ações que devem anteceder a próxima reunião:

- Conversar com o Emerson e mostrar a nossa proposta para “capturar” parte do REELA, nem que seja um evento de um dia. Obviamente fazer tal trabalho antes de procurá-lo.
- Acertar os detalhes da pesquisa.
- MOVER-SE e não ficar esperando isso apenas dos outros.

Próximas reuniões:
As primeiras terças de cada mês.
Próxima na primeira terça de agosto, dia 7, a princípio na agência de inovação da USP (confirmar).

É isso, abraços,
Carlos

sexta-feira, 29 de junho de 2007

FRANQUIAS e Feira da ABF 2007

Estive na Feira de Franchising da ABF 2007 no Center Norte.
Interessante, dez anos atrás só havia franquias de alimentação e de cursos de Inglês. Atualmente as maiores redes de alimentação não estavam por lá (não vi o MAC, nem a Starbucks, ou o Café do Ponto, mas vi o Habbib´s e a Kopenhagem). Pelo profissionalismo com que fui atendido na Kopennhagem só posso dizer que está explicado o crescimento exponencial da empresa, que teve a grande sacada de juntar um café (de preço razoável) aos seus chocolates (vendidos a peso de ouro). Ainda há espaço para franqueados e empreendedores.

O que eles obtiveram foi uma sinergia interessante, pois a venda de café "potencializa a venda de chocolate" e se não faz fortuna, deve cobrir os custos da loja, ficando o lucro decorrente da venda dos bombons. Já os outros cafés, como café do ponto ou mesmo o franz´s devem estar com problemas, já que não tem sinergias tão gratificantes. Legal verificar que mesmo as livrarias também usam essa sinergia do cafezinho, vide Nobel, Cultura e Siciliano.

Outras redes estão tentando se firmar, vi algumas redes de ensino bem fracas, e sumiram as grandes, como objetivo, positivo entre outras.

Franquias de 4000,00 Reais estavam a venda por 1200( o que é bizarro, pois o barato sai caro) e sem querer criticar o serviço alheio, vi franquias que deveriam se envergonhar , pois estão mais para pilantragens do que para negócios.

Bem, são apenas opiniões, mas o setor (se é que se pode falar em "setor de franquias") está se consolidando... e tai uma boa forma para o nosso pobre empreendedor no mínimo ver o que um negócio deve ter para funcionar.

terça-feira, 26 de junho de 2007

Reunião com o Emerson SEBRAE.

A reunião do fórum aconteceu hoje, e foi muito produtiva, coloca a ata na sexta.
Abs.
Carlos

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Confirmada a próxima reunião do grupo para a próxima terça, na ESPM, às 14h15

terça-feira, 19 de junho de 2007

BRASIL QUE NÃO FUNCIONA

Texto enviado pela Rose Mary Almeida Lopes

Tenho um excelente professor no curso de Mba que insiste em dizer que no Brasil poucas coisas funcionam bem. Custei a acreditar que isso seria possível e comecei a investigar item a item e descobri, para meu completo espanto, que há um fundo de razão na afirmação dele de que aqui toda teoria vira de cabeça para baixo, toda regra se transforma numa bagunça, tudo o que funciona lá fora aqui dentro parece resistir a qualquer padrão lógico de entendimento.

Vou tentar dar alguns exemplos práticos e extremamente variados.

Setor de transporte – Ferroviário.

Esse setor está sendo recuperado e enfrenta um problema curioso. Tamanho da bitola.

Os países mais desenvolvidos do mundo têm transporte ferroviário nacional e internacional integrando-se perfeitamente nos países limítrofes: Eua, Canadá, México, quase todos os países da Europa.

A grande maioria das ferrovias no mundo utilizam bitolas de 1435 milímetros. Claro, no Brasil há um caos a esse respeito. Utilizamos bitolas de 1000 mm, 1600 mm, 1435mm (poucos quilômetros) e 1676 mm.

Dá para imaginar que a integração sugerida pelo Mercosul vai para o brejo, bem como internamente não há possibilidades da malha ser utilizada por uma composição singular ou única porque cada trajeto exige um equipamento diferente.

Porque aqui não foi usado a bitola padrão de 1435 mm? E porque essa bitola chama-se padrão?

O Brasil não adotou a bitola de 1435mm por medo de ter seu território invadido pelas estradas de ferro dos países vizinhos. Uma completa bobagem. O que antes foi um artifício de proteção hoje é um baita impedimento ao material rodande ferroviário para integração do Mercosul. A medida de 1435mm foi adotada desde os tempos dos romanos, que era a distância entre eixos das bigas, mais tarde adotada pelas carruagens, carroças, os primeiros trens e automóveis.

Ainda no setor ferroviário. Nos Eua cada 1000 kms de terreno tem 29 kms de estrada de ferro (trilhos, na França esse número sobre para incríveis 59 kms e no Brasil? Não passa de 3 kms!

Nossa matriz de transporte é a mais cara do mundo. Graças a Juscelino e sua maléfica insistência em adotar o rodoviário como padrão nacional de transporte. Nada mais caro e arcaico.

Cada Cv (cavalo vapor) movimenta apenas 500 quilos na rodovia, 1500 na ferrovia e mais de 2500 na hidrovia.

Temos mais de 10.000 kms de litoral e uma navegação de cabotagem pífia.


Armadores virtuais

Armador é a pessoa ou empresa que detém a propriedade de navios de transporte. Armadores virtuais são também considerados como tal, exceto que eles não possuem de fato as embarcações registradas em seu nome, mas tão somente os espaços disponíveis (praça). Os armadores virtuais procedem a aquisição dos espaços nos navios de carga e os negociam com os embarcadores (aquela pessoa ou empresa que tem a carga para transportar). No mundo inteiro os armadores virtuais são reconhecidos como públicos e de direito da mesma forma que os armadores reais.

Aqui no Brasil essa figura do armador virtual não existe e ninguém se preocupa em regulamentar esse importante componente da logística internacional de modais de transporte.

Incoterms

Os chamados Incoterms (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) servem para definir, dentro da estrutura de um contrato de compra e venda internacional, os direitos e obrigações recíprocos do exportador e do importador, estabelecendo um conjunto-padrão de definições e determinando regras e práticas neutras, como por exemplo: onde o exportador deve entregar a mercadoria, quem paga o frete, quem é o responsável pela contratação do seguro.

Enfim, os Incoterms têm esse objetivo, uma vez que se trata de regras internacionais, imparciais, de caráter uniformizador, que constituem toda a base dos negócios internacionais e objetivam promover sua harmonia.

Na realidade, não impõem e sim propõem o entendimento entre vendedor e comprador, quanto às tarefas necessárias para deslocamento da mercadoria do local onde é elaborada até o local de destino final (zona de consumo): embalagem, transportes internos, licenças de exportação e de importação, movimentação em terminais, transporte e seguro internacionais etc.

São 13 os Incoterms e um deles é chamado de EXW (ex works) e é definido conforme abaixo:

alquer modalidade de transporte.

EXW - EX WORKS (...named place)

• A mercadoria é colocada à disposição do comprador no estabelecimento do vendedor, ou em outro local nomeado (fábrica, armazém, etc.), não desembaraçada para exportação e não carregada em qualquer veículo coletor;
• Este termo representa obrigação mínima para o vendedor;
• O comprador arca com todos os custos e riscos envolvidos em retirar a mercadoria do estabelecimento do vendedor;
• Desde que o Contrato de Compra e Venda contenha cláusula explícita a respeito, os riscos e custos envolvidos e o carregamento da mercadoria na saída, poderão ser do vendedor;
• EXW não deve ser usado se o comprador não puder se responsabilizar, direta ou indiretamente, pelas formalidades de exportação;
• Este termo pode ser utilizado em qualquer modalidade de transporte.

Em todos os lugares do mundo aplica-se a Incoterm EXW de forma corriqueira. Aqui no Brasil simplesmente ela não existe, logo aqui no Brasil podemos considerar apenas 12 as Incoterms e não as 13 originais, desta forma o Brasil não pode exportar nada direto para o importador usando EXW.

Aviação comercial

Bom nem preciso dizer que isso não funciona mesmo desde o acidente do avião da Gol mais o Legacy pilotado pelos Srs Lepore e Paladino que foram apontados como também culpados pelo acidente.

Justiça.

Perdoem-me, mas ela só funciona para os que conseguem pagá-la. Com raríssimas exceções, bem raras mesmo. Isso quando a justiça não serve para

dar guarida a ladrões, corruptos, vendedores de sentenças e por aí afora.

Impostos sobre bens de produção.

Sem sombra de dúvidas dá para contar em dois ou três dedos a quantidade de países que cobram esse tipo de imposto sobre: caminhões, tratores, aviões, carretas, vagões e coisas do gênero. São itens usados para transporte basicamente e deveriam ser isentados sob qualquer forma incentivando a renovação de frota, bem como o barateamento desse que é o mais caro transporte de todos eles aí incluindo o avião: transporte rodoviário.

Sim é verdade. Um caminhão custa menos que um avião. Só que esse não é o calculo correto.

Precisamos incluir toda a infraestrutura de estradas, pedágios, pavimentação, manutenção, postos de atendimento, oficinas. Por quilometro e por peso levando-se em conta essa matemática o rodoviário é sempre mais caro, além de transportar pouca coisa.

Temos que levar em conta, além dos custos acima o fator velocidade. Um avião pode fazer o trajeto Rio-SP várias vezes por dia já o caminhão ficará restrito a apenas uma viagem ou no máximo duas.

Política.

Bah! Nem precisamos comentar. A política é hoje a alavanca que impulsiona nosso país ao jurássico da história. É um peso enorme que só não podemos jogá-la no lixo porque ainda é um instrumento de nossa democracia. Caso contrário já podíamos ter transformado o Congresso Nacional num clube de rinha de galos que ninguém iria sentir falta, exceto os carrapatos que mamam sempre nessas tetas.

Agora o senhor malandro Epitácio Cafeteira quer engavetar qualquer possibilidade de colocar sob penalidade o outro malandro Renan Calheiros. Coisas de comparsas. De gente que monta gangue para surrupiar tudo o que vê pela frente e depois cada um tenta colocar terra na bela cagada do outro. (desculpem o palavrão, mas bem colocado assim é super sonoro).

Sabemos o cheiro de orégano que isso vai ter. Evidente. Na quadrilha que se transformou câmara dos deputados e agora o senado todos querem encobrir a todos e a felicidade gera solta nas paragens dos corruptos.

Tem dedo de Sarney nesse samba do crioulo doido outra pérola que nosso país produz em quantidades pantagruélicas.

Hoje nos jornais três partidecos PPS, PSOL e PV dão noticia que vão denunciar Renan caso ele escape incólume dessa patifaria do senado. Perda de tempo e recursos.

As três agremiações poderiam comprar as massas, o queijo e mais orégano que vão ser necessários para montar tantas pizzas. Ao invés de cometer tanto sacrilégio contra o bom moço Renan poderiam fundar a PIZZABRAS para dar suporte ao consumo exagerado da iguaria em voga nos corredores onde circulam as gangues que tomaram posse deste latifúndio.

Magno A Lopes é escritor da academia Piracicabana de letras, cadeira 24 de ciências, administrador de empresas com habilitação em gerenciamento de negócios internacionais, pós-graduando em comércio exterior e jornalista free- lancer. Piracicaba (SP), 18 de junho de 2007.

Andragogia e Pedagogia

Andragogia e Pedagogia: O conceito de andragogia evoluiu a partir do conceito da pedagogia. Se pedagogia pode ser literalmente traduzida como a arte e a ciência de ensinar crianças, andragogia foi definida como “a arte e ciência de orientar adultos a aprender” (KNOWLES, 1970). Desde que Knowles publicou sua primeira edição houve uma evolução conceitual. Hoje, “o termo correntemente define uma alternativa para pedagogia e refere-se à aprendizagem em qualquer idade focada no estudante” e não no professor (CONNER, 1997) . A andragogia fundamenta-se no “aprender fazendo”.

Diz-se que na pedagogia existe a educação centrada no professor. Sendo portanto desse a responsabilidade sobre o que será aprendido. A pedagogia pressupõe um aluno imaturo. Esse modelo era aplicado também para adultos. Nos modelos andragógicos a aprendizagem é de responsabilidade compartilhada entre professor e aluno.

Ao tratar de educação empreendedora, é razoável supor o uso da andragogia, visto que inovar ou mesmo abrir um negócio são atividades essencialmente práticas. A maior parte dos esforços para desenvolver a criatividade e a capacidade de inovação não está focada em técnicas, apesar de ser possível considerar a existência destas.

É curioso notar que muitos alunos de empreendedorismo não optaram por esse curso, tendo essa matéria como currículo obrigatório. Em certa medida, isso é contrário aos princípios da andragogia.

CONNER, M. L. Andragogy and Pedagogy. Ageless Learner, 1997-2004. Disponível no site http://agelesslearner.com/intros/andragogy.html em 28 de Abril de 2005

KNOWLES, M. S. The Adult Learner: a neglected species 4ed. Houston: Gulf Publishing, 1990

sábado, 16 de junho de 2007

As tentativas de conceituar um empreendedor sem considerar a sua atividade não fazem sentido. É como perguntar: Quem produz o som, o tambor, ou músico? O empreendedor só pode ser definido pelo que faz, não pelo que é.

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Lei Geral das Microempresas: A Nova Realidade para os Pequenos Negócios

Data: 13/06/2007Início: 9hTérmino: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor. Clique aqui.


A partir de 1 º de Julho, os benefícios do Regime Tributário do Simples Nacional - Super Simples poderão ser usufruídos por todas as micro e pequenas empresas do país. Para te ajudar a entender as melhorias trazidas pela nova Lei, a Endeavor convidou para seu próximo workshop Júlio César Durante, consultor do SEBRAE-SP.Júlio mostrará a importância das micro e pequenas empresas para a economia do Brasil, o cenário dos negócios no país e os princípios gerais da Lei Geral. Não perca essa oportunidade!
Palestrante
Júlio César Durante é Consultor Contábil e Tributário do Sebrae-SP. Bacharel em Ciências Contábeis e Pós-Graduado em Controladoria, Júlio atua na entidade há 10 anos.

BERÇO DE NOVAS EMPRESAS

Feira de Negócios -

A UMC campus São Paulo Parque Villa-Lobos vai promover na próxima semana, de 4 a 6 de junho, a 1ª Feira de Negócios. O projeto faz parte da matriz curricular dos cursos de processos gerenciais e gestão empresarial. O responsável pela execução é o professor Paulo Roberto Silva dos Santos. Os alunos, que concluem o curso este ano, abrem empresas e demonstram seus negócios. “Essas empresas existem realmente, pois os alunos abriram, não é só uma simulação”, completa o professor e gestor do curso José Galba de Aquino. “As esmpresas ainda não possuem o CNPJ" diz ainda Galba.

Em conjunto com as apresentações das empresas e seus respectivos Plano de Negócios, serão ministradas Palestras de ex-alunos que abriaram seus negócios. Tema da Palestra :

EMPREENDEDOR DE SUCESSO " A importância da UMC na sua vida empresarial"
CASOS REAIS

terça-feira, 5 de junho de 2007

Steinbruch

Hoje o Presidênte da CSN escreve no caderno da folha, sobre os objetivos do empresariado brasileiro que: "o objetivo é nobre: fazer o país crescer para dar emprego e bem estar aos brasileiros."
Fico realmente intrigado quando os empresários insistem em não assumir que o objetivo da atividade economica é ganhar dinheiro. Tal tentativa de enobrecer a causa acaba tendo o efeito inverso, e passa as pessoas a sensação que ganhar dinheiro, lucrar, ter uma empresa eficiênte, é algo feio, pouco nobre, ou até antiético. Claro que os empreendedores ajudam o crescimento da economia, levam a criação de novas vagas e a estabilidade social, mas isso não é o seu fim, nem deve ser entendido como tal. Não há dúvidas que o Sr. Benjamin vai preferir "demitir" cem funcionários e substituí-los por uma máquina se isso aumentar a produtividade da CSN. As nossas empresas precisam continuar competitivas, ele dirá. Não estará errado, mas também não vai me convencer que seu objetivo era o bem estar social.
É exatamente nesse limite, na hora em que saímos dos portões da CSN, que as escolhas econômicas devem ser de ambito público. A intervenção estatal na economia não é recomendável, mas certamente espera-se do governo discernimento para saber que atividades deve privilegiar com incentivos (aquelas que geram mais empregos? Ou aquelas que geram bons empregos? Dificilmente aquelas que não geram muitos empregos, e que são calcadas no extrativismo primário, como por um coincidênte exemplo a extração de minério de ferro), que atividades deve estimular com redução de impostos? (as milhares de empresas prestadoras de serviço, onde trabalham a maior parte da população, ou os grandes plantadores de soja?)
Mas isso passa por um projeto de país, e não por sonhos e devaneios, mas nosso Faraó não quer saber disso.

quinta-feira, 31 de maio de 2007

Ata da Reunião de 29 de Maio de 2007.

Ata da Reunião do Fórum de Educação Empreendedora de 29 de Maio de 2007.

A reunião ocorreu na ESPM, às 14h15 conforme combinado. Compareceram:

- Siqueira – Instituto Minerva e Poli USP;
- Carlos Lavieri – Coordenador do Grupo, FEA USP;
- Claudia Fortes – Unifieo
- Tales Andreassi – FGV-SP (EAESP)
- Paulo S. (UMC)

RESUMO

1- Apesar do baixo comparecimento, a reunião foi muito interessante, primeiramente pela apresentação do professor Tales, com o conceito de effectuation – Sarasvathy, a leitura do texto é recomendada, e o professor Tales ficou de providenciá-lo para colocarmos no site, juntamente com a Tese do Igor que tratou deste assunto no caso Buscapé:

Apenas para dar uma dimensão do debate, considerem dois pontos colocados:

- “Na maioria das vezes, os empreendedores não pensam ao iniciar um negócio quanto vão ganhar, mas sim quanto estão dispostos a perder.”

- “A maior parte dos empreendedores dá mais importância a construção de parcerias e ao que fazer para aproveitar os recursos de que dispõe, do que a elaborar um plano ou uma estratégia de ação.”

2 – A apresentação da próxima reunião ainda não está confirmada, mas será provavelmente ministrada pelo Emerson Moraes Vieira do SEBRAE, e deverá discorrer sobre as oportunidades de trabalhos na área de educação empreendedora.

3 – A Claudia sugeriu que o grupo começasse a se mexer para organizar uma viagem no final do ano para centros de empreendedorismo.

4 – Faltou discutir a pesquisa.

Informes:

1– A FGV está abrindo um concurso para “cases” de empreendedorismo, que serão usados em aula.

2 – O REELA será no RIO, e as informações estarão disponíveis em breve.

3 – A Lílian aumentou o tempo de uso da senha da Thompson para 15 de Junho.

Acho que é isso, estou com um pouco de pressa e agradeço correções dos colegas,
Carlos

terça-feira, 29 de maio de 2007

Livro sobre Franchising

Franchising - Uma estratégia para expansão de Negócios


Acabei de ler o livro (Cherto; Campora; Filomena Garcia; Adir Ribeiro e Luis Imperatore)

O livro é um guia de referências para vários dos problemas codianos dos franqueados, mas traz muitas informações valiosas aos franqueadores. Não é para ser lido como fiz, numa sentada, o que acaba prejudicando "o prazer da leitura", coisa que já é rara em livros técnicos. Pena que acrescente pouco quanto ao treinamento que os futuros franqueados recebem, pois esse é um exemplo pouco considerado de educação empreendedora, e poderia trazer idéias interessantes.

----
Fico devendo o Post sobre a reunião do grupo que ocorreu hoje, amanhã eu conserto isso.

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Franquia

Já havia visitado, mas hoje conheci também os blogs de parceiros do Marcelo Cherto, ligados a franquias, que recomendo abaixo.
As franquias são certamente um dos mais inteligêntes meios para o novo empreendedor construir seu negócio com segurança. Curioso fato que as definições de empreendedores ignoram a idéia de segurança e muitas vezes a mascaram, falando em riscos "calculados". Nascidas como uma forma de distribuir produtos, elas cresceram e hoje são um tipo de negócio que conjuga inovação, ação, eficiência e bons custos. Se você quer começar o seu negócio, vale estudar esse assunto. Se já possui um bom negócio e quer crescer, mas falta-lhe capital ou pessoal qualificado, também vale o estudo do tema.
Para conhecer:

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Reunião do Fórum - Confirmada para 29 de Maio

Na ESPM, para mais informações, contate-me.

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Greve na USP?


Comunicado da reunião de 22/05/07


Com o objetivo de encontrar uma solução pacífica para a desocupação imediata do prédio da Reitoria, em reunião realizada hoje, com a presença de 20 alunos e dois representantes do Sindicato dos Funcionários da USP (Sintusp), a Reitoria comprometeu-se a:

1. Oferecer café da manhã e almoço aos domingos no Restaurante Central, no campus Butantã. O prazo para execução dessa proposta será de seis a nove meses, considerando a necessidade de contratação de pessoal especializado.

2. No que se refere ao transporte nos fins-de-semana, no campus Butantã, haverá reestruturação do serviço prestado pelo ônibus circular da Prefeitura do Campus, que funcionará aos sábados e domingos, das 9h às 17h. A Prefeitura providenciará uma grade de horários, que será afixada nas paradas de ônibus. A extensão desse serviço após as 17h, ou outro mecanismo alternativo para atender o trajeto Portaria 1– Crusp, será objeto de estudo, de início imediato.

3. Quanto ao processo de cancelamento de matrículas, a Reitoria propõe-se a retirá-lo do Conselho Universitário, retornando-o ao Conselho de Graduação (CoG) para reanálise.

A Reitoria reitera, ainda, os termos do documento “Reivindicações acolhidas pela Reitoria”, datado de 08 de maio p.p., bem como a criação da comissão formada por 16 membros (sendo oito professores e oito alunos e/ou funcionários), que deverá analisar e apresentar propostas sobre os demais itens da pauta de reivindicações apresentadas pelos estudantes. Tal comissão terá o prazo de 90 dias para apresentar o relatório final à Reitoria, que se comprometeu a dar atenção especial à implementação das ações propostas e aprovadas pelos colegiados da Universidade.

Também estiveram presentes à reunião a presidente do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana, Sra. Rose Nogueira, e o representante da Comissão Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, Dr. Walter Foster Júnior.

Na data de hoje, também foi realizado, a pedido do coronel Joviano C. Lima, comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, um encontro entre membros da Reitoria e professores da Universidade para tratar do processo de reintegração de posse.
São Paulo, 22 de maio de 2007.
A Reitoria
COMENTÁRIO MEU:
Pelas reinvidicações fica evidente que a greve a USP tem um pequeno grupo de estudantes com demandas desconexas do resto do corpo discente... Nunca ouvi falar na necessidade de transporte nos finais de semana, ou de comida aos domingos, entre os alunos da FAU, da Psico ou da FEA. Fica claro que os "estudantes" moradores do CRUSP estão transformando a discussão em nova meia duzia de privilégios. Uma vergonha para o resto dos alunos, como eu.
Particularmente, o mais grave é aumentar o tempo antes do jubilamento. Isso não é conquista universitária é sim dar chance para que meia duzia de pilantras não sejam mandados ao mercado, e tenham que encarar o mundo real. Agora poderão continuar a gastar a verba do estado, sem nada devolver.
A moradia universitária é uma necessidade, não há dúvida. Mas incrivelmente acaba virando muleta para alguns, já em plenas condições de se formar e buscar um mundo melhor, que não querem largar a regalia. - Com estudantes deste tipo, quem vai criticar nossos políticos.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar

Workshop Endeavor
Data: 23/05/2007Início: 9hTérmino: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor.

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar

Em uma empresa, a remuneração é uma das questões mais importantes e mais difíceis de ser estruturada. Para ajudá-lo nesta tarefa, a Endeavor trará para seu próximo Workshop Joaquim Patto, grande especialista no assunto.Com mais de 40 anos de experiência, Patto dividirá conceitos, métodos e dicas sobre Remuneração. Venha entender melhor a evolução dos Sistemas de Recursos Humanos, a Remuneração Total, as alternativas de Arquitetura de Remuneração e aprenda a estruturar um Programa de Remuneração Variável de curto, médio e longo prazos.

Inscrição
Caso você queira comparecer ao evento, faça a sua inscrição clicando aqui.

sábado, 19 de maio de 2007

Marketing de guerrilha.

Uma boa idéia certamente não resolve e nem é garantia de sucesso, mas é um importante começo. O site http://www.blogdeguerrilha.com.br/ traz sempre exemplos de idéias que por si só já produzem um "boca a boca" considerável e podem ser a razão do sucesso de um novo produto.




Essa semana eles tem um interessante exemplo: Três cariocas, aproveitando a movimentação do Romário (ou melhor, a baixa movimentação), resolveram tomar 1000 chopps antes do milésimo gol. Confira: http://milchopps.blogspot.com/. Note que até aqui as meninas tem apenas uma idéia divertida para contar aos amigos, e que certamente está se espalhando. Por exemplo eu acabo de postar esse link e aumentar o bafafá sobre o assunto. Agora como transformar a idéia em um produto? Bem, não é tão difícil, elas estão avaliando os bares onde tomam os chopps e assim podem faturar uma grana de publicidade ou ao menos uns chopps de graça... Se os encontros forem bem divulgados em breve talvez uma ou outra chopperia pudesse pagar para elas aparecerem (vai que elas trazem clientela nova).


Se forem inteligentes mesmo, podem levar o negócio adiante, criando um guia do chopp, ou camisetas para vender (que tal o Romário tomando o milésimo chop para comemorar o milésimo gol?!). Agora, difícil mesmo é ir além e transformar o produto em negócio, isso eu quero ver.



sexta-feira, 18 de maio de 2007


Workshop Endeavor
Data: 23/05/2007Início: 9hTérmino: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor. Clique aqui.

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar
Em uma empresa, a remuneração é uma das questões mais importantes e mais difíceis de ser estruturada. Para ajudá-lo nesta tarefa, a Endeavor trará para seu próximo Workshop Joaquim Patto, grande especialista no assunto.Com mais de 40 anos de experiência, Patto dividirá conceitos, métodos e dicas sobre Remuneração. Venha entender melhor a evolução dos Sistemas de Recursos Humanos, a Remuneração Total, as alternativas de Arquitetura de Remuneração e aprenda a estruturar um Programa de Remuneração Variável de curto, médio e longo prazos.
Palestrante
Joaquim Patto é Consultor Sênior da Mercer Recursos Humanos no escritório em São Paulo, sendo responsável por todos os projetos que envolvem a Indústria de Serviços Financeiros. Patto possui mais de 40 anos de experiência em cargos de Direção de Empresas, no segmento financeiro. Antes de fazer parte da equipe Mercer, atuou como sócio principal da Rhumo Consultoria, empresa especializada em desenhos de planos de remuneração e benefícios para empresas nacionais e internacionais, como também no desenvolvimento de pesquisas salariais para aproximadamente 100 empresas da Indústria Financeira. É mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas e fez diversos outros cursos na área de Recursos Humanos no Brasil e nos Estados Unidos.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

propriedade intelectual

Seminário Internacional discute uso estratégico da propriedade intelectual -
21 a 25 de maio/07


Durante toda a semana que vem, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI e a Organização Mundial da Propriedade Intelectual - OMPI, realizam um seminário para discutir o uso da Propriedade Intelectual como estratégia para o desenvolvimento. O evento acontece no Hotel Caesar Park em Ipanema, Rio de Janeiro, em reuniões fechadas aos técnicos.
Usar a Propriedade Intelectual (PI) como uma das principais ferramentas para o crescimento do país, tornou-se um desafio para o INPI. Desde 2004, o Instituto passa por uma reestruturação que está dinamizando seu desempenho e disseminando amplamente o papel da PI para desenvolvimento e crescimento do país.
Nessa esteira, o seminário “Uso Estratégico da Propriedade Intelectual para o Desenvolvimento Sócio-Econômico” discute temas que ressaltam a relevância de uma melhor elaboração da política industrial e do desenvolvimento tecnológico, apontando dificuldades dos governos e definindo estratégias de negócios por parte das empresas.
O programa debaterá a propriedade intelectual sob o ponto de vista de determinados setores da indústria, como farmacêutico, energia, software/indústria digital e música. O evento refletirá sobre tópicos centrais de competitividade tecnológica e ganhos sociais, tais como financiamento de inovação, transferência de tecnologia, acesso à saúde pública, proteção dos conhecimentos tradicionais e direitos autorais.
O evento contará com as presenças do presidente do INPI, Jorge Ávila, do diretor executivo do Escritório de Uso Estratégico de Propriedade Intelectual para o Desenvolvimento da OMPI, Sherif Saadallah, de representantes de 16 países da América Latina – Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Equador, Guatemala, México, Nicaragua, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela – e de dois diplomatas de Missões das seguintes regiões: África, países Árabes, América Latina e Caribe, Ásia e Pacífico e outros países da Europa e Ásia.

Maiores informações com Juliana ou Marcelo do Sercom no telefone 2139-3235.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Louis Jacques Filion

Segundo Filion em palestra:
"Já na África negra, o mundo empresarial é dominado pelas mulheres, no Japão, os homens dominam a vida das empresas. Os emprendedores japoneses que estudei são verdadeiros kamikazes da indústria: raras vezes encontramos seres humanos tão determinados. Além da Ásia, duas outras regiões chamam a atenção pelo crescimento da cultura empreendedora na última década: o Brasil e algumas regiões da Europa Central. Se a educação empreendedora fosse bem organizada, poderíamos ver no Brasil uma eclosão empreendedora como poucas vezes se viu na história. Mesmo no interior do país, existem culturas empreendedoras muito diversas de uma região para a outra. O empreendedorismo não é praticado da mesma forma em São Paulo, no Rio de Janeiro , em Porto Alegre, em Recife, Ouro Preto e assim por diante." (destaque meu) -
Um interessante estudo pode resultar da comparação destas "realidades" na determinação de aspectos comuns a "cultura empreendedora"

terça-feira, 15 de maio de 2007

Qual a diferença entre educações empreendedoras?

Ao longo do meu trabalho estou realmente intrigado com o seguinte, qual a diferença entre ensinar alguém a ter atitude empreendedora dentro e fora do mundo coorporativo?

segunda-feira, 14 de maio de 2007

CICLO AIESEC DE EMPREENDEDORISMO - FEAUSP

Amanhã
CICLO AIESEC DE EMPREENDEDORISMO
Empreendedorismo SocialÀs 17h30, na Sala E-3, do FEA-1
Palestrantes: Rodrigo Bandeira e Marcelo Cavalcante (coordenadores de projetos da Organização Artemísia)Realização: AIESECResponsável: Jéssica das Neves MenezesInfos: 3091-6047, com JéssicaE-mail: royaljessica@gmail.com
MÊS CULTURAL DE R.I.

sexta-feira, 11 de maio de 2007

A aprendiz 4 - de novo.

Alguém por favor pode me dizer no que é que aquele QUIZ avalia um candidato a empreendedor... vou desistir deste programa...

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Sucesso e Fracasso do empreendedor.

A definição de sucesso e fracasso para os empreendedores é um dos grandes enigmas. Para um grupo razoável de pessoas é fácil dizer que fulano venceu. Para outro é ainda mais fácil dizer que fracassou. Coisas da humanidade. Entretanto, definição precisa acaba não existindo. Pode-se falar em enriquecimento, ou em um negócio sólido, ou ainda em um grande empreendimento, mas afirmar que essa ou aquela pessoa é um sucesso é temerário, pois pressupõe comparar dois seres humanos, duas histórias distintas, como se tal pudesse ser ato científico. Oras, quem teve mais sucesso, o pescador que criou sua família e teve uma boa vida até o dia de sua morte, ou Alexandre, que conquistou o mundo então conhecido?

Assim, deve-se evitar afirmar que uma pessoa é um sucesso. O que fazer então com relação ao fracasso? Bem, o fracasso é mais fácil de notar. Não se discute se uma empresa fáliu. Trata-se de um fracasso. Entretanto uma ressalva deve ser feita: Boa parte dos empreendedores que controem firmas duradouras, que mudam o mundo, já alguma vez em sua vida, experimentou o fracasso. Não conseguir o que queria no mínimo produz experiência, e cá entre nós, é nesta chama que são temperados os seres mais humanos.

Abs.

terça-feira, 8 de maio de 2007

Livro: EMPREENDEDORISMO – Uma Visão do Processo

Título: EMPREENDEDORISMO – Uma Visão do Processo
Autores:Robert A. Baron & Scott A. Shane
Revisor técnico: José Antonio Lerosa de Siqueira éengenheiro, mestre e doutor em engenharia pelaEscola Politécnica da Universidade de São Paulo,coordenador geral do Centro Minerva deEmpreendedorismo da USP e diretor da InventuraTreinamento Empresarial Ltda.
Páginas: 466
ISBN: 85-221-0533-2

Segundo a descrição:
Este livro apresenta uma visão única do empreendedorismo, ou seja, aquela do ponto
de vista do processo, apresentando-o em suas diversas fases distintas. A obra trata o
empreendedorismo como um processo contínuo e esse modelo é seguido de maneira
consistente em todo o texto, fornecendo aos estudantes um modelo claro a seguir e fácil
de compreender. Acessível e rico em exemplos, o texto une conceitos, teoria e pesquisa.

Comentário meu:
O livro consegue escapar dos cliches óbvios e realmente reunir pesquisas sobre empreendedorismo discutindo o estado da arte. Bom livro para acadêmicos e interessantes para empreendedores, discute muito pouco a questão da educação empreendedora.

segunda-feira, 7 de maio de 2007

CAFÉ ACADÊMICO COM AMIR KLINK

40º CAFÉ ACADÊMICO COM AMIR KLINK NA USP


Dia 08 de maio, das 18h30, no Galpão da Escola PolitécnicaRealização: ECA-JrInfos.: 3091-4405 e 3481-1777www.ecajr.com.br/cafeacademicoE-mail: cafeacademico@ecajr.com.br

domingo, 6 de maio de 2007

Empretecos

Conheça:

http://www.guiadosempretecos.com.br/pg_home.asp - O guia está melhor do que o site anterior, muitas foram as tentativas de unir os empretecos, mas a maioria morreu por falta de esforço ou uma cola que os unisse.

sábado, 5 de maio de 2007

Ainda sobre o Aprendiz 4.

As discussões na comunidade do Orkut sobre o programa Aprendiz 4 já começaram, e também ali existe uma grande confusão entre um bom negócio, um bom produto e uma boa idéia.

Agora existe mais um fato intrigante no programa, o Juri.
Ele é composto por Walter Longo, Roberto Justus e também pelo presidente do Sebrae... em resumo o único empreendedor da lista é o Justus, pois Walter Longo é um empregado, e o presidente do Sebrae é um funcionário público.

Além disso, o Roberto Justus já vem de uma família rica e se é verdade que ele conseguiu contruir uma boa empresa (sem entrar no mérito de quanto disso deve-se ao seu "casamento" com a Galisteu), também é verdade que não partiu exatamente do zero. Assim fica a pergunta, até que ponto eles são qualificados para avaliar os canditatos.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

O Aprendiz 4 - O sócio.

Começou ontem o programa de Roberto Justus, o Aprendiz 4, que desta vez, objetiva escolher um novo sócio, que receberá um capital de um milhão de reais para investir em seu novo negócio em troca de 51% das ações deste negócio.
Primeiramente é interessante notar que na prática o próprio Justus já está se premiando com 510.000 reais, pois imaginemos que o negócio fosse dissolvido antes mesmo de começar. Como o dinheiro é dos capitalistas, o sócio receberia 490.000 mil e os 510 restantes iriam para Justus pessoa física.
Claro que isso é dinheiro de pinga perto dos 50.000.000,00 que o programa pretende faturar para a rede Record (faturamento do aprendiz 3).
Alguns dos leitores do Blog sabem que sou sócio do Carlos Nakao, que participou do aprendiz 3, e assim através dele e de outros participantes, fiquei sabendo de muita coisa que não vai ao ar.
Bem, a primeira coisa que devemos lembrar antes de comentar o programa, é que ele é exatamente isso, um programa e não o processo real de criação de uma firma (ou mesmo de capitação de capital). Essa ressalva é importante, pois significa que mais importante do que o projeto escolhido ser viável, interessante e bem estruturado, é ele ajudar no processo de dar audiência e retorno aos anunciantes.
A segunda coisa que gostaria de comentar, está ligada aos projetos que assisti ontem, a maior parte me pareceu ao menos inovadora, e isso deve ser consequência de uma seleção pela produção com algum critério, que retirou do jogo as idéias tradicionais como "abrir uma butique de pães", ou "montar uma pousada em Jureré". Por outro lado, várias das idéias estavam ainda num centradas no invento e não no negócio, o que é um erro óbvio. Além disso, intrigante os critérios que levam Justus a escolher alguns em detrimento de outros, pois não parece que ele esteja preocupado com o potencial de venda de alguns dos candidatos, um dos critérios que me parecem fundamentais na escolha de um sócio.
Por hoje é só, comentarei o programa mais vezes.

O negócio que é brinquedo!

Workshop Endeavor
Data: 09/05/2007Início: 9hTérmino: 12h


O negócio que é brinquedo!
O que acontece quando um médico pediatra transforma sua paixão por crianças em empreendimento? Nasce a maior rede de lojas de brinquedo da América Latina!Neste workshop, você terá a oportunidade de conhecer a história de Ricardo Sayon, o médico empreendedor que descobriu o segredo do sucesso: boas parcerias e atendimento diferenciado.Há 19 anos no mercado, a Ri Happy investe em treinamento de equipe, excelência na prestação de serviços e inovação. Com um pensamento moderno e ousado, lançou, em 1997, o 1º site brasileiro para venda de brinquedos. Além disso, foi pioneira no lançamento de revista própria, que hoje, além de ser entregue no domicilio dos clientes cadastrados e distribuídas nas lojas, pode ser comprada em bancas de jornal.Participe e aprenda o que é possível fazer com determinação, esforço e muita alegria!

Saiba mais:
http://www.endeavor.org.br

segunda-feira, 30 de abril de 2007

Manaus

Aqui em Manaus, onde estou passando o feriado, nota-se uma grande carência de serviços. Não há por exemplo uma boa padaria. Estas regiões do Brasil que crescem enquanto São Paulo atrofia, podem trazer interessantes oportunidades para o empreendedor. Entretanto a carência de mão de obra qualificada também assusta.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Fórum de Educação Empreendedora - ATA 24 de Abril

Compareceram:
Carlos Lavieri
Rose Mary Lopes
José Antônio Pereira Gonçalves
Claudio Tervydis
José Antonio Lerosa Siqueira
Zilá Grassiotin
Marcelo Nakagawa
Alvaro Mello
Odair Soares

Decisões:

1 - Discutiu-se a idéia de criar um documento político, uma carta colocando a posição do fórum. Sugestões para a melhoria das condições da criação de novos negócios no Brasil, e principalmente para facilitar a sobrevivência destes.

2 - O professor Siqueira ficou de verificar junto ao Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) quais informações da pesquisa já não estão disponíveis, dispensando algumas das perguntas.

3 - Zila e Rose ficarão de "finalizar" a pesquisa, sendo que se alguém estiver interessado em ajudá-las, deve compactá-las.

4 – A fim de evitar confusões, decidiu-se manter o nome: "Fórum de Educação Empreendedora" e não "grupo de educação empreendedora."

Informes

1 - Rose:
Feira do Jovem Empreendedor em S. José dos Campos, de 18 a 22 de Junho.
http://virtualeduca.org.br/ - Mostrará EAD com rádios e Tvs educativas.

2 - Marcelo apresentou brevemente a atuação da Endevor.

3 - Timila (Thomson) apresentou a base de dados, que disponibilizamos durante um mês, experimentalmente. Para saber mais, veja os anexos na página do grupo.

Apresentação

A apresentação da Rose elucidou muitos pontos e merece ser lida, pois faz um apanhado geral da situação da educação empreendedora no mundo.

Na próxima reunião teremos a apresentação do Prof. Tales (FGV EAESP) com o tema Efetuação. Sugestão do Prof. José Siqueira.

Próximas reuniões


As datas estão mantidas para as próximas duas reuniões (última terça-feira do mês), mas serão revistas a partir de então.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Convite Alvaro

Caros amigos,

No próximo dia 18/05/07, vocês são nossos convidados para realizarmos no CRA-SP, o I Encontro de Coordenadores de Centros de Empreendedorismo. Para tanto, necessitamos que fossem confirmadas suas presenças até 07/05/07.
Caso haja alguma dúvida ou sugestão, por favor, fiquem à vontade para me comunicar.

Abaixo, encontram-se as informações relativas a este evento.

Um abraço,

Alvaro Mello



Título do evento : Café da manhã – I Encontro de Coordenadores de Centros de Empreendedorismo Universitários (CEE)


Local e data da realização: CRA-SP ; 18/maio/2007

Horário: 8hh30 às 12h00

Objetivos
- Reunir os coordenadores dos Centros de Empreendedorismo Universitários (CEEs) nas IES Instituições de Ensino Superior que tenham experiencias relevantes na coordenação destes centros, para discutir a missão e os desafios destas entidades e, propor estratégias inovadoras e de atuação comum, a partir das discussões e trocas de experiencias realizadas durante o evento. Também serão convidados a participar, representantes de IES e organizações privadas relacionadas com o tema Empreendedorismo.

Questões chave para orientar as discussões


- Identificação das necessidades e razão de ser dos CEEs
- Quais os seus desafios e missão?
- Respostas e soluções para atendimento das necessidades verificadas
- O que funcionou e quais os resultados alcançados
- O que não funcionou e quais as dificuldades encontradas
- Perspectivas para os Centros de Empreendedorismo Universitários
- Sugestões e recomendações




Metodologia - Dinâmica
- Durante o evento:Formação de grupos que discutirão os temas acima estabelecidos, a partir das questões e respostas préviamente fornecidas e dos encontros virtuais realizados
- Elaboração do Relatório Final e Recomendações

Participantes convidados
- Nede/Mackenzie
- FEA/USP
- Poli/USP
- Mauá
- Senac
- IBMEC
- ESPM
- EaespFGV
- FAAP
- BSP
- PUC/Rio
- Faculdade Sumaré
- FAESP
- GV CEPE
-

Empresas e instituições convidadas a participar :

* Solo Corp -
* ACSP/Fenaj -
* Sebrae -
* Cietec -
* Endeavor
* Fiesp
* IBIE
* CRA-SP
* Votorantim Ventures
* Associação Brasileira de Venture Capital/Private Equity
* IEL Instituto Euvaldo Lodi (Nacional)
* ANPEI
* FINEP
* Clube do Empreendedor
* Forum de Educação Empreendedora
* Inova Unicamp
* SBDE
* IBTA