quinta-feira, 31 de maio de 2007

Ata da Reunião de 29 de Maio de 2007.

Ata da Reunião do Fórum de Educação Empreendedora de 29 de Maio de 2007.

A reunião ocorreu na ESPM, às 14h15 conforme combinado. Compareceram:

- Siqueira – Instituto Minerva e Poli USP;
- Carlos Lavieri – Coordenador do Grupo, FEA USP;
- Claudia Fortes – Unifieo
- Tales Andreassi – FGV-SP (EAESP)
- Paulo S. (UMC)

RESUMO

1- Apesar do baixo comparecimento, a reunião foi muito interessante, primeiramente pela apresentação do professor Tales, com o conceito de effectuation – Sarasvathy, a leitura do texto é recomendada, e o professor Tales ficou de providenciá-lo para colocarmos no site, juntamente com a Tese do Igor que tratou deste assunto no caso Buscapé:

Apenas para dar uma dimensão do debate, considerem dois pontos colocados:

- “Na maioria das vezes, os empreendedores não pensam ao iniciar um negócio quanto vão ganhar, mas sim quanto estão dispostos a perder.”

- “A maior parte dos empreendedores dá mais importância a construção de parcerias e ao que fazer para aproveitar os recursos de que dispõe, do que a elaborar um plano ou uma estratégia de ação.”

2 – A apresentação da próxima reunião ainda não está confirmada, mas será provavelmente ministrada pelo Emerson Moraes Vieira do SEBRAE, e deverá discorrer sobre as oportunidades de trabalhos na área de educação empreendedora.

3 – A Claudia sugeriu que o grupo começasse a se mexer para organizar uma viagem no final do ano para centros de empreendedorismo.

4 – Faltou discutir a pesquisa.

Informes:

1– A FGV está abrindo um concurso para “cases” de empreendedorismo, que serão usados em aula.

2 – O REELA será no RIO, e as informações estarão disponíveis em breve.

3 – A Lílian aumentou o tempo de uso da senha da Thompson para 15 de Junho.

Acho que é isso, estou com um pouco de pressa e agradeço correções dos colegas,
Carlos

terça-feira, 29 de maio de 2007

Livro sobre Franchising

Franchising - Uma estratégia para expansão de Negócios


Acabei de ler o livro (Cherto; Campora; Filomena Garcia; Adir Ribeiro e Luis Imperatore)

O livro é um guia de referências para vários dos problemas codianos dos franqueados, mas traz muitas informações valiosas aos franqueadores. Não é para ser lido como fiz, numa sentada, o que acaba prejudicando "o prazer da leitura", coisa que já é rara em livros técnicos. Pena que acrescente pouco quanto ao treinamento que os futuros franqueados recebem, pois esse é um exemplo pouco considerado de educação empreendedora, e poderia trazer idéias interessantes.

----
Fico devendo o Post sobre a reunião do grupo que ocorreu hoje, amanhã eu conserto isso.

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Franquia

Já havia visitado, mas hoje conheci também os blogs de parceiros do Marcelo Cherto, ligados a franquias, que recomendo abaixo.
As franquias são certamente um dos mais inteligêntes meios para o novo empreendedor construir seu negócio com segurança. Curioso fato que as definições de empreendedores ignoram a idéia de segurança e muitas vezes a mascaram, falando em riscos "calculados". Nascidas como uma forma de distribuir produtos, elas cresceram e hoje são um tipo de negócio que conjuga inovação, ação, eficiência e bons custos. Se você quer começar o seu negócio, vale estudar esse assunto. Se já possui um bom negócio e quer crescer, mas falta-lhe capital ou pessoal qualificado, também vale o estudo do tema.
Para conhecer:

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Reunião do Fórum - Confirmada para 29 de Maio

Na ESPM, para mais informações, contate-me.

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Greve na USP?


Comunicado da reunião de 22/05/07


Com o objetivo de encontrar uma solução pacífica para a desocupação imediata do prédio da Reitoria, em reunião realizada hoje, com a presença de 20 alunos e dois representantes do Sindicato dos Funcionários da USP (Sintusp), a Reitoria comprometeu-se a:

1. Oferecer café da manhã e almoço aos domingos no Restaurante Central, no campus Butantã. O prazo para execução dessa proposta será de seis a nove meses, considerando a necessidade de contratação de pessoal especializado.

2. No que se refere ao transporte nos fins-de-semana, no campus Butantã, haverá reestruturação do serviço prestado pelo ônibus circular da Prefeitura do Campus, que funcionará aos sábados e domingos, das 9h às 17h. A Prefeitura providenciará uma grade de horários, que será afixada nas paradas de ônibus. A extensão desse serviço após as 17h, ou outro mecanismo alternativo para atender o trajeto Portaria 1– Crusp, será objeto de estudo, de início imediato.

3. Quanto ao processo de cancelamento de matrículas, a Reitoria propõe-se a retirá-lo do Conselho Universitário, retornando-o ao Conselho de Graduação (CoG) para reanálise.

A Reitoria reitera, ainda, os termos do documento “Reivindicações acolhidas pela Reitoria”, datado de 08 de maio p.p., bem como a criação da comissão formada por 16 membros (sendo oito professores e oito alunos e/ou funcionários), que deverá analisar e apresentar propostas sobre os demais itens da pauta de reivindicações apresentadas pelos estudantes. Tal comissão terá o prazo de 90 dias para apresentar o relatório final à Reitoria, que se comprometeu a dar atenção especial à implementação das ações propostas e aprovadas pelos colegiados da Universidade.

Também estiveram presentes à reunião a presidente do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana, Sra. Rose Nogueira, e o representante da Comissão Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo, Dr. Walter Foster Júnior.

Na data de hoje, também foi realizado, a pedido do coronel Joviano C. Lima, comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, um encontro entre membros da Reitoria e professores da Universidade para tratar do processo de reintegração de posse.
São Paulo, 22 de maio de 2007.
A Reitoria
COMENTÁRIO MEU:
Pelas reinvidicações fica evidente que a greve a USP tem um pequeno grupo de estudantes com demandas desconexas do resto do corpo discente... Nunca ouvi falar na necessidade de transporte nos finais de semana, ou de comida aos domingos, entre os alunos da FAU, da Psico ou da FEA. Fica claro que os "estudantes" moradores do CRUSP estão transformando a discussão em nova meia duzia de privilégios. Uma vergonha para o resto dos alunos, como eu.
Particularmente, o mais grave é aumentar o tempo antes do jubilamento. Isso não é conquista universitária é sim dar chance para que meia duzia de pilantras não sejam mandados ao mercado, e tenham que encarar o mundo real. Agora poderão continuar a gastar a verba do estado, sem nada devolver.
A moradia universitária é uma necessidade, não há dúvida. Mas incrivelmente acaba virando muleta para alguns, já em plenas condições de se formar e buscar um mundo melhor, que não querem largar a regalia. - Com estudantes deste tipo, quem vai criticar nossos políticos.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar

Workshop Endeavor
Data: 23/05/2007Início: 9hTérmino: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor.

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar

Em uma empresa, a remuneração é uma das questões mais importantes e mais difíceis de ser estruturada. Para ajudá-lo nesta tarefa, a Endeavor trará para seu próximo Workshop Joaquim Patto, grande especialista no assunto.Com mais de 40 anos de experiência, Patto dividirá conceitos, métodos e dicas sobre Remuneração. Venha entender melhor a evolução dos Sistemas de Recursos Humanos, a Remuneração Total, as alternativas de Arquitetura de Remuneração e aprenda a estruturar um Programa de Remuneração Variável de curto, médio e longo prazos.

Inscrição
Caso você queira comparecer ao evento, faça a sua inscrição clicando aqui.

sábado, 19 de maio de 2007

Marketing de guerrilha.

Uma boa idéia certamente não resolve e nem é garantia de sucesso, mas é um importante começo. O site http://www.blogdeguerrilha.com.br/ traz sempre exemplos de idéias que por si só já produzem um "boca a boca" considerável e podem ser a razão do sucesso de um novo produto.




Essa semana eles tem um interessante exemplo: Três cariocas, aproveitando a movimentação do Romário (ou melhor, a baixa movimentação), resolveram tomar 1000 chopps antes do milésimo gol. Confira: http://milchopps.blogspot.com/. Note que até aqui as meninas tem apenas uma idéia divertida para contar aos amigos, e que certamente está se espalhando. Por exemplo eu acabo de postar esse link e aumentar o bafafá sobre o assunto. Agora como transformar a idéia em um produto? Bem, não é tão difícil, elas estão avaliando os bares onde tomam os chopps e assim podem faturar uma grana de publicidade ou ao menos uns chopps de graça... Se os encontros forem bem divulgados em breve talvez uma ou outra chopperia pudesse pagar para elas aparecerem (vai que elas trazem clientela nova).


Se forem inteligentes mesmo, podem levar o negócio adiante, criando um guia do chopp, ou camisetas para vender (que tal o Romário tomando o milésimo chop para comemorar o milésimo gol?!). Agora, difícil mesmo é ir além e transformar o produto em negócio, isso eu quero ver.



sexta-feira, 18 de maio de 2007


Workshop Endeavor
Data: 23/05/2007Início: 9hTérmino: 12h

Esse evento será transmitido ao vivo pela videoteca Endeavor. Clique aqui.

Remuneração: Tudo o que você queria saber mas não tinha para quem perguntar
Em uma empresa, a remuneração é uma das questões mais importantes e mais difíceis de ser estruturada. Para ajudá-lo nesta tarefa, a Endeavor trará para seu próximo Workshop Joaquim Patto, grande especialista no assunto.Com mais de 40 anos de experiência, Patto dividirá conceitos, métodos e dicas sobre Remuneração. Venha entender melhor a evolução dos Sistemas de Recursos Humanos, a Remuneração Total, as alternativas de Arquitetura de Remuneração e aprenda a estruturar um Programa de Remuneração Variável de curto, médio e longo prazos.
Palestrante
Joaquim Patto é Consultor Sênior da Mercer Recursos Humanos no escritório em São Paulo, sendo responsável por todos os projetos que envolvem a Indústria de Serviços Financeiros. Patto possui mais de 40 anos de experiência em cargos de Direção de Empresas, no segmento financeiro. Antes de fazer parte da equipe Mercer, atuou como sócio principal da Rhumo Consultoria, empresa especializada em desenhos de planos de remuneração e benefícios para empresas nacionais e internacionais, como também no desenvolvimento de pesquisas salariais para aproximadamente 100 empresas da Indústria Financeira. É mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas e fez diversos outros cursos na área de Recursos Humanos no Brasil e nos Estados Unidos.

quinta-feira, 17 de maio de 2007

propriedade intelectual

Seminário Internacional discute uso estratégico da propriedade intelectual -
21 a 25 de maio/07


Durante toda a semana que vem, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial – INPI e a Organização Mundial da Propriedade Intelectual - OMPI, realizam um seminário para discutir o uso da Propriedade Intelectual como estratégia para o desenvolvimento. O evento acontece no Hotel Caesar Park em Ipanema, Rio de Janeiro, em reuniões fechadas aos técnicos.
Usar a Propriedade Intelectual (PI) como uma das principais ferramentas para o crescimento do país, tornou-se um desafio para o INPI. Desde 2004, o Instituto passa por uma reestruturação que está dinamizando seu desempenho e disseminando amplamente o papel da PI para desenvolvimento e crescimento do país.
Nessa esteira, o seminário “Uso Estratégico da Propriedade Intelectual para o Desenvolvimento Sócio-Econômico” discute temas que ressaltam a relevância de uma melhor elaboração da política industrial e do desenvolvimento tecnológico, apontando dificuldades dos governos e definindo estratégias de negócios por parte das empresas.
O programa debaterá a propriedade intelectual sob o ponto de vista de determinados setores da indústria, como farmacêutico, energia, software/indústria digital e música. O evento refletirá sobre tópicos centrais de competitividade tecnológica e ganhos sociais, tais como financiamento de inovação, transferência de tecnologia, acesso à saúde pública, proteção dos conhecimentos tradicionais e direitos autorais.
O evento contará com as presenças do presidente do INPI, Jorge Ávila, do diretor executivo do Escritório de Uso Estratégico de Propriedade Intelectual para o Desenvolvimento da OMPI, Sherif Saadallah, de representantes de 16 países da América Latina – Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Equador, Guatemala, México, Nicaragua, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela – e de dois diplomatas de Missões das seguintes regiões: África, países Árabes, América Latina e Caribe, Ásia e Pacífico e outros países da Europa e Ásia.

Maiores informações com Juliana ou Marcelo do Sercom no telefone 2139-3235.

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Louis Jacques Filion

Segundo Filion em palestra:
"Já na África negra, o mundo empresarial é dominado pelas mulheres, no Japão, os homens dominam a vida das empresas. Os emprendedores japoneses que estudei são verdadeiros kamikazes da indústria: raras vezes encontramos seres humanos tão determinados. Além da Ásia, duas outras regiões chamam a atenção pelo crescimento da cultura empreendedora na última década: o Brasil e algumas regiões da Europa Central. Se a educação empreendedora fosse bem organizada, poderíamos ver no Brasil uma eclosão empreendedora como poucas vezes se viu na história. Mesmo no interior do país, existem culturas empreendedoras muito diversas de uma região para a outra. O empreendedorismo não é praticado da mesma forma em São Paulo, no Rio de Janeiro , em Porto Alegre, em Recife, Ouro Preto e assim por diante." (destaque meu) -
Um interessante estudo pode resultar da comparação destas "realidades" na determinação de aspectos comuns a "cultura empreendedora"

terça-feira, 15 de maio de 2007

Qual a diferença entre educações empreendedoras?

Ao longo do meu trabalho estou realmente intrigado com o seguinte, qual a diferença entre ensinar alguém a ter atitude empreendedora dentro e fora do mundo coorporativo?

segunda-feira, 14 de maio de 2007

CICLO AIESEC DE EMPREENDEDORISMO - FEAUSP

Amanhã
CICLO AIESEC DE EMPREENDEDORISMO
Empreendedorismo SocialÀs 17h30, na Sala E-3, do FEA-1
Palestrantes: Rodrigo Bandeira e Marcelo Cavalcante (coordenadores de projetos da Organização Artemísia)Realização: AIESECResponsável: Jéssica das Neves MenezesInfos: 3091-6047, com JéssicaE-mail: royaljessica@gmail.com
MÊS CULTURAL DE R.I.

sexta-feira, 11 de maio de 2007

A aprendiz 4 - de novo.

Alguém por favor pode me dizer no que é que aquele QUIZ avalia um candidato a empreendedor... vou desistir deste programa...

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Sucesso e Fracasso do empreendedor.

A definição de sucesso e fracasso para os empreendedores é um dos grandes enigmas. Para um grupo razoável de pessoas é fácil dizer que fulano venceu. Para outro é ainda mais fácil dizer que fracassou. Coisas da humanidade. Entretanto, definição precisa acaba não existindo. Pode-se falar em enriquecimento, ou em um negócio sólido, ou ainda em um grande empreendimento, mas afirmar que essa ou aquela pessoa é um sucesso é temerário, pois pressupõe comparar dois seres humanos, duas histórias distintas, como se tal pudesse ser ato científico. Oras, quem teve mais sucesso, o pescador que criou sua família e teve uma boa vida até o dia de sua morte, ou Alexandre, que conquistou o mundo então conhecido?

Assim, deve-se evitar afirmar que uma pessoa é um sucesso. O que fazer então com relação ao fracasso? Bem, o fracasso é mais fácil de notar. Não se discute se uma empresa fáliu. Trata-se de um fracasso. Entretanto uma ressalva deve ser feita: Boa parte dos empreendedores que controem firmas duradouras, que mudam o mundo, já alguma vez em sua vida, experimentou o fracasso. Não conseguir o que queria no mínimo produz experiência, e cá entre nós, é nesta chama que são temperados os seres mais humanos.

Abs.

terça-feira, 8 de maio de 2007

Livro: EMPREENDEDORISMO – Uma Visão do Processo

Título: EMPREENDEDORISMO – Uma Visão do Processo
Autores:Robert A. Baron & Scott A. Shane
Revisor técnico: José Antonio Lerosa de Siqueira éengenheiro, mestre e doutor em engenharia pelaEscola Politécnica da Universidade de São Paulo,coordenador geral do Centro Minerva deEmpreendedorismo da USP e diretor da InventuraTreinamento Empresarial Ltda.
Páginas: 466
ISBN: 85-221-0533-2

Segundo a descrição:
Este livro apresenta uma visão única do empreendedorismo, ou seja, aquela do ponto
de vista do processo, apresentando-o em suas diversas fases distintas. A obra trata o
empreendedorismo como um processo contínuo e esse modelo é seguido de maneira
consistente em todo o texto, fornecendo aos estudantes um modelo claro a seguir e fácil
de compreender. Acessível e rico em exemplos, o texto une conceitos, teoria e pesquisa.

Comentário meu:
O livro consegue escapar dos cliches óbvios e realmente reunir pesquisas sobre empreendedorismo discutindo o estado da arte. Bom livro para acadêmicos e interessantes para empreendedores, discute muito pouco a questão da educação empreendedora.

segunda-feira, 7 de maio de 2007

CAFÉ ACADÊMICO COM AMIR KLINK

40º CAFÉ ACADÊMICO COM AMIR KLINK NA USP


Dia 08 de maio, das 18h30, no Galpão da Escola PolitécnicaRealização: ECA-JrInfos.: 3091-4405 e 3481-1777www.ecajr.com.br/cafeacademicoE-mail: cafeacademico@ecajr.com.br

domingo, 6 de maio de 2007

Empretecos

Conheça:

http://www.guiadosempretecos.com.br/pg_home.asp - O guia está melhor do que o site anterior, muitas foram as tentativas de unir os empretecos, mas a maioria morreu por falta de esforço ou uma cola que os unisse.

sábado, 5 de maio de 2007

Ainda sobre o Aprendiz 4.

As discussões na comunidade do Orkut sobre o programa Aprendiz 4 já começaram, e também ali existe uma grande confusão entre um bom negócio, um bom produto e uma boa idéia.

Agora existe mais um fato intrigante no programa, o Juri.
Ele é composto por Walter Longo, Roberto Justus e também pelo presidente do Sebrae... em resumo o único empreendedor da lista é o Justus, pois Walter Longo é um empregado, e o presidente do Sebrae é um funcionário público.

Além disso, o Roberto Justus já vem de uma família rica e se é verdade que ele conseguiu contruir uma boa empresa (sem entrar no mérito de quanto disso deve-se ao seu "casamento" com a Galisteu), também é verdade que não partiu exatamente do zero. Assim fica a pergunta, até que ponto eles são qualificados para avaliar os canditatos.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

O Aprendiz 4 - O sócio.

Começou ontem o programa de Roberto Justus, o Aprendiz 4, que desta vez, objetiva escolher um novo sócio, que receberá um capital de um milhão de reais para investir em seu novo negócio em troca de 51% das ações deste negócio.
Primeiramente é interessante notar que na prática o próprio Justus já está se premiando com 510.000 reais, pois imaginemos que o negócio fosse dissolvido antes mesmo de começar. Como o dinheiro é dos capitalistas, o sócio receberia 490.000 mil e os 510 restantes iriam para Justus pessoa física.
Claro que isso é dinheiro de pinga perto dos 50.000.000,00 que o programa pretende faturar para a rede Record (faturamento do aprendiz 3).
Alguns dos leitores do Blog sabem que sou sócio do Carlos Nakao, que participou do aprendiz 3, e assim através dele e de outros participantes, fiquei sabendo de muita coisa que não vai ao ar.
Bem, a primeira coisa que devemos lembrar antes de comentar o programa, é que ele é exatamente isso, um programa e não o processo real de criação de uma firma (ou mesmo de capitação de capital). Essa ressalva é importante, pois significa que mais importante do que o projeto escolhido ser viável, interessante e bem estruturado, é ele ajudar no processo de dar audiência e retorno aos anunciantes.
A segunda coisa que gostaria de comentar, está ligada aos projetos que assisti ontem, a maior parte me pareceu ao menos inovadora, e isso deve ser consequência de uma seleção pela produção com algum critério, que retirou do jogo as idéias tradicionais como "abrir uma butique de pães", ou "montar uma pousada em Jureré". Por outro lado, várias das idéias estavam ainda num centradas no invento e não no negócio, o que é um erro óbvio. Além disso, intrigante os critérios que levam Justus a escolher alguns em detrimento de outros, pois não parece que ele esteja preocupado com o potencial de venda de alguns dos candidatos, um dos critérios que me parecem fundamentais na escolha de um sócio.
Por hoje é só, comentarei o programa mais vezes.

O negócio que é brinquedo!

Workshop Endeavor
Data: 09/05/2007Início: 9hTérmino: 12h


O negócio que é brinquedo!
O que acontece quando um médico pediatra transforma sua paixão por crianças em empreendimento? Nasce a maior rede de lojas de brinquedo da América Latina!Neste workshop, você terá a oportunidade de conhecer a história de Ricardo Sayon, o médico empreendedor que descobriu o segredo do sucesso: boas parcerias e atendimento diferenciado.Há 19 anos no mercado, a Ri Happy investe em treinamento de equipe, excelência na prestação de serviços e inovação. Com um pensamento moderno e ousado, lançou, em 1997, o 1º site brasileiro para venda de brinquedos. Além disso, foi pioneira no lançamento de revista própria, que hoje, além de ser entregue no domicilio dos clientes cadastrados e distribuídas nas lojas, pode ser comprada em bancas de jornal.Participe e aprenda o que é possível fazer com determinação, esforço e muita alegria!

Saiba mais:
http://www.endeavor.org.br